UGT - Comunicados

Notícias

2017

3ª Conferência - Ciclo do conferências - Igualdade de Género

2017-02-18
3ª Conferência - Ciclo do conferências - Igualdade de Género

A UGT em parceria com a Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, a Ordem dos Médicos  e o SINDITE (Sindicato dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica), filiado na UGT, e sob a coordenação do Prof. Catedrático Rui Nunes, da Faculdade de Medicina do Porto, organizaram mais uma sessão de um ciclo de conferências que visa debater a questão da igualdade de género, nas suas diversas vertentes.

Esta terceira sessão teve lugar em Coimbra, na sede da Ordem dos Médicos e abordou as questões da igualdade de género na política e nos média, bem como no Direito português.

A sessão de abertura, presidida por sua Excelência, o Presidente da República Portguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, contou a presença do Secretário Geral da UGT, Carlos Silva, da Presidente da UGT, Lucinda Dâmaso, bem como de outras presonalidades de elevado prestígio.

Para além da sessão de abertura, participaram ainda nos painéis de discussão, Helena Carvalheiro, Presidente do SBC e Gonçalo Mendes, Presidente da UGT - Coimbra.

A sessão de encerramento esteve a cargo da Presidente da Comissão de Mulheres, Lina Lopes.

Clique AQUI para aceder à fotogaleria

Entrevista do Secretário-geral ao ECO

2017-02-11
Entrevista do Secretário-geral ao ECO

Em entrevista ao jornal digital ECO, o Secretário-geral da UGT voltou a firmar a sua reivindicação para o aumento do salário mínimo. O valor de 580€ acordado entre Governo e Bloco de Esquerda é o patamar mínimo que aceita discutir.

Leia no link abaixo a entrevista na íntegra.

 

Ver link

FNE - Greve dos trabalhadores não docentes ronda os 90%

2017-02-03
FNE - Greve dos trabalhadores não docentes ronda os 90%

A Federação Nacional de Educação (FNE), filiada na UGT avança com uma adesão de 90% dos trabalhadores não docentes à greve de hoje que encerrou escolas de norte a sul do país.

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, que estava junto à Escola Secundária do Restelo, em Lisboa, que está fechada, afirmou que as primeiras informações indicam que há escolas encerradas de norte a sul do país, apontando os concelhos de Mafra, Torres Vedras, Bragança, Lisboa, Porto e Gaia.

“Temos informações de várias escolas, em Mafra, em Torres Vedras, em Bragança, em Vila Real, em Lisboa, no Porto, em Gaia, muitas escolas encerradas é a informações de que dispomos. Noutras escolas há níveis fortes de adesão e poderão funcionar com os serviços reduzidos”, afirmou Dias da Silva.

“É provavelmente uma das maiores greves do pessoal não docente”, disse ao PÚBLICO o presidente da Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP), José Abraão, que também esteve nesta manhã na Escola Secundária do Restelo. “Só esperamos que o Governo tire as suas ilações”, acrescentou.

Esta greve  tem na base, entre outras razões, o combate à precariedade entre o pessoal não docente e a criação de carreiras especiais, de modo a valorizar as funções desempenhados por estes funcionários nas escolas.

Mas os sindicatos questionam também os rácios que actualmente determina o cálculo das necessidades de pessoal docente nas escolas, uma vez que este só tem em conta o número de alunos, esquecendo as diferentes tipologias existentes e os vários serviços oferecidos pelas escolas. Os sindicatos afectos à UGT avaliam que para satisfazer as necessidades permanentes nas escolas faltam colocar dois mil funcionários. 

(nota baseda na notícia do Público e em actualização)

VÍDEO: FNE e FESAP fazem balanço da Greve dos Trabalhadores Não Docentes

2017-02-03
VÍDEO: FNE e FESAP fazem balanço da Greve dos Trabalhadores Não Docentes

Os Secretários-gerais da FNE e da FESAP fizeram o balanço da adesão à greve  por parte dos trabalhadores não docentes.

Em declarações aos jornalistas, João Dias da Silva, da FNE, afirmou que centenas de escolas estão encerradas de norte a sul do País. E explicou que esta paralisação é "um sinal muito claro dos trabalhadores não docentes ao Governo no sentido de que têm de ser valorizados, que têm de ser respeitados."

O Secretário-geral da FNE explica que não é o encerramento das escolas que é importante, nem o que as organizações sindicais procuram. "O que nós procuramos é que o Governo sinta a obrigação de ouvir este sinal e que se sente à mesa das negociações para que os problemas que se arrastam há anos e anos, venham a ser corrigidos, para que tenhamos mais qualidade na educação através dos nossos trabalhadores não docentes".

Também José Abraão, da FESAP, afirmou que o sucesso desta greve se deve à "revolta dos trabalhadores, por estes se sentirem cansados e abandonados no que diz respeito aos seus direitos mais essenciais". Acrescentou ainda que esta paralisação também está relacionada " com a necessidade de [o Governo] resolver com as organizações sindicais a questão dos trabalhadores precários."

Veja a Conferência de Imprensa no link abaixo.

(Fonte:RTP)

Ver vídeo (Youtube)

Entrevista ao Secretário-geral da UGT Público/Rádio Renascença

2017-02-02
Entrevista ao Secretário-geral da UGT Público/Rádio Renascença

Convidado pelo Público e a Rádio Renascença para uma entrevista, o líder da UGT não dá como certo um novo aumento do salário mínimo em 2018. Carlos Silva quer também travar a precariedade laboral, mas admite não será possível acabar com essa "chaga".

Estas foram algumas das ideias transmitidas pelo Secretário-geral. Para saber mais clique no link abaixo e leia a entrevista na íntegra.

 

Ver link