UGT - Comunicados

Notícias Internacionais

2022

UGT parabeniza o novo Director-Geral da OIT

2022-03-25
UGT parabeniza o novo Director-Geral da OIT

O Conselho de Administração da Organização Internacional do Trabalho (OIT), elegeu esta sexta-feira, em Genebra, Gilbert F. Houngbo como o seu 11º Diretor-geral.

Houngbo é actualmente Presidente do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

O novo Diretor-geral foi eleito pelo Conselho de Administração da OIT, composto por representantes dos governos, trabalhadores e empregadores, estando a UGT representada no grupo dos trabalhadores pela sua Secretária Internacional, Catarina Tavares.  

O mandato de cinco anos do novo director-geral terá início a 1 de Outubro de 2022. O actual Director-Geral, Guy Ryder, do Reino Unido, exerce o cargo desde 2012. 

O Conselho de Administração da OIT é composto por 56 membros titulares (28 Governos, 14 Empregadores e 14 Trabalhadores) e 66 membros suplentes (28 Governos, 19 Empregadores e 19 Trabalhadores). Os membros Empregadores e Trabalhadores são eleitos na sua qualidade individual. 

A OIT é a mais antiga agência especializada da ONU. Foi fundada em 1919 e tem um mandato para promover o trabalho digno para todos. Tem 187 Estados Membros.

UGT parabeniza Gilbert F. Houngbo.

ETUC/CES | Ucrânia: UGT na linha da frente na luta pela PAZ, contra a violência

2022-03-02
ETUC/CES | Ucrânia: UGT na linha da frente na luta pela PAZ, contra a violência

"Poucos dias após o inaceitável ataque militar de Putin à Ucrânia, a situação está continuamente a deteriorar-se com a devastação no país, milhares de vítimas entre civis e forças militares, centenas de milhares de refugiados deslocados no território ucraniano e atravessando as fronteiras para países vizinhos, em condições precárias e perigosas.

 

A Confederação Europeia de Sindicatos reitera a sua condenação do ataque, exige o fim imediato das operações militares, o abandono do país pelas tropas russas e o diálogo e conversações para a paz.

A CES exige que as instituições da União Europeia e os Estados-Membros:

  • Aumentem a pressão sobre Putin e o seu governo através de todas as formas de sanções necessárias, dirigidas especificamente aos interesses e bens da liderança e das elites russas, e que sejam estendidas também à Bielorrússia pela sua participação na agressão militar à Ucrânia;
  • Introduzam medidas de compensação e de abastecimento alternativo, com vista a reduzir os impactos negativos sobre as populações da UE e dos países vizinhos, incluindo a manutenção das medidas de emergência utilizadas pela UE, para fazer face ao surto de COVID-19;
  • Prestem apoio militar defensivo imediato e ajuda financeira e humanitária à Ucrânia e à sua população;
  • Criem corredores humanitários que permitam que os refugiados abandonem o país em segurança e organizem planos de acolhimento e de deslocalização na EU;
  • Garantam a segurança e a proteção das fronteiras e das populações da UE e dos países vizinhos mais expostos às atuais e potenciais operações militares russas.

A CES tem-se mantido constantemente em contacto com os colegas sindicalistas ucranianos, no sentido de garantir a solidariedade e o apoio e, em coordenação com as suas filiais, a CSI e o PERC estão prontos para:

  • Ativar as atividades de mobilização e de lobbying a todos os níveis para apoiar as exigências da CES e manter a pressão sobre as instituições da UE e sobre os governos nacionais.
  • Prestar assistência financeira e humanitária à população ucraniana através dos sindicatos ucranianos.
  • Ajudar a estabelecer corredores humanitários de apoio aos refugiados.
  • Apoiar os sindicatos filiados da CES nos países da região mais expostos às consequências dos ataques russos."

A UGT Portugal respondeu nesta data ao apelo da CES, CSI e PERC – organizações sindicais internacionais – no sentido de apoiar a luta do povo Ucraniano na sua resposta ao invasor russo e transferiu a simbólica quantia de 5000,00 euros para a conta SOLIDARITY FUND FOR UKRAINE, que se destina a apoiar financeiramente o esforço da Confederação Ucraniana no auxílio aos trabalhadores e famílias refugiadas e na sua resistência à agressão de que o seu país foi alvo.

Esta resolução ontem aprovada na sessão plenária da CES teve 2 abstenções – uma confederação espanhola e a CGTP, que assim revela a sua recusa em alinhar com o sindicalismo democrático da CES, da CSI e da PERC.

A UGT estará na linha da frente pelo combate pela democracia sindical, pela liberdade e pela justiça, mas também pelo Estado de Direito, violado grosseiramente pela Rússia, pelos seus aliados e amigos, como também esta semana o PCP fez questão de vincar na condenação da Rússia pelo Parlamento Europeu, onde votou contra a Resolução.

Pela PAZ e contra a violência!!!

 

O Secretariado Executivo da UGT


 

Secretário-geral da UGT convidado para o 72º Aniversário da UIL

2022-02-23
Secretário-geral da UGT convidado para o 72º Aniversário da UIL

O Secretário-geral da UGT, Carlos Silva, a convite da confederação sindical italiana UIL, estará presente em Roma, no próximo dia 5 de Março, nas comemorações do 72º aniversário daquela organização.

O líder da UGT intervirá numa mesa redonda, presidida pelo Secretário-geral da UIL, Pierpaolo Bombardieri, num debate que abordará as prioridades europeias para os trabalhadores, o mundo do trabalho durante e no pós-pandemia, a nova organização do trabalho e os novos desafios económicos impostos pela crise energética.

Estarão também presentes neste encontro o vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, o Secretário-geral da Confederação Europeia de Sindicatos (CES/ETUC), Luca Visentini, a Secretária-geral da confederação sindical belga CSC, Marie-Hélène Ska, e representantes da CFDT França e da UGT-Espanha.