UGT - Comunicados

Notícias Internacionais

2016

UGT reforça a cooperação com a comunidade emigrante no Luxemburgo

2016-02-18
UGT reforça a cooperação com a comunidade emigrante no Luxemburgo

A UGT promoveu hoje uma conferência no Luxemburgo onde aprofundou a questão do reforço da cooperação com a comunidade emigrante.

Esta iniciativa teve como propósito promover um debate alargado sobre o ensino da língua portuguesa no estrangeiro e sobre a problemática da segurança social para comunidade emigrante neste país, na tentativa de lançar perspectivas para o futuro através dos contributos dos representantes das associações sindicais e os governos dos dois países.

Procurou também discutir e recolher contributos que definam soluções para os constrangimentos enfrentados pelos trabalhadores emigrantes no Luxemburgo, no que diz respeito ao ensino do português e da dupla tributação das pensões.

Esta sessão contou com uma forte presença sindical, com representantes das confederações dos dois países, mas também com os membros do executivo português e luxemburguês, designadamente o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro e do Presidente da Câmara dos Deputados do Luxemburgo, Mars Di Bartolomeo.

Aproveitando a deslocação ao Luxemburgo, a UGT assinou com as duas centrais sindicais luxemburguesas (OGBL e LCGB) um protocolo que pretende reforçar a cooperação para a defesa das comunidades emigrantes nos dois países, nas áreas das qualificações e formação profissional ou do apoio jurídico, reforçando desta forma os direitos dos trabalhadores que representam.

Clique no link abaixo e veja as fotos deste evento

Ver fotos (Flickr)

Comité Económico e Social Europeu manifesta por unanimidade o apoio ao Acordo de Schengen

2016-02-17
Comité Económico e Social Europeu manifesta por unanimidade  o apoio ao Acordo de Schengen

O Comité reunido em plenário nos dias 16 e 17 de Fevereiro, apelou às organizações europeias e nacionais da sociedade civil para que manifestem o seu apoio não só à manutenção, mas também à consolidação do espaço Schengen e ao seu alargamento. Por seu lado, comprometeu-se a intervir junto das instituições da UE, e nomeadamente do Conselho, para que os Estados-Membros se mantenham fiéis aos princípios dos Tratados e dos acordos que representam manifestamente uma conquista para a União dos povos da Europa.

 

CESE quer luta contra a pobreza na agenda europeia

2016-01-28
CESE quer luta contra a pobreza na agenda europeia

Hoje dia 28 de Janeiro de 2016, o plenário da secção especializada do CESE, emprego, assuntos sociais e cidadania, discutiram e aprovaram um parecer a enviar à Comissão Europeia relativo à necessidade de recolocar na agenda europeia a implementação de medidas de LUTA CONTRA A POBREZA.

Apesar da sucessão de graves crises económicas e financeiras, desde 2008, terem contribuído, para um aumento da instabilidade e da pobreza na União Europeia, os regimes de proteção social existentes na maioria dos Estados Membros ajudaram a atenuar os efeitos das crises. Contudo, a crise financeira de 2011 veio inverter esta tendência e as medidas de austeridade orçamental motivaram cortes nas despesas sociais, o que agravou a situação. A própria Comissão Europeia reconhece, hoje, que o objetivo da redução da pobreza se afigura inatingível. Por isso, o CESE considera essencial que, tendo em conta também esta questão, se proceda a uma alteração urgente da orientação global das políticas económicas da UE, que continua, em grande medida, a ir no sentido da austeridade.

O Pacote de Investimento Social de 2013 constitui outra boa iniciativa da Comissão. O CESE já instou a Comissão a empreender uma agenda muito ambiciosa para o investimento social e introduzi-la em todas as fases do Semestre Europeu. O investimento social implica entre outros aspetos, políticas que preparem os cidadãos e as famílias para responder aos novos riscos sociais colocados por uma sociedade de conhecimento competitiva, mediante um investimento no capital humano, desde a primeira instância, ao invés de uma simples “reparação” dos danos após os períodos de crise internacional ou política. No entanto, apesar dos seus méritos, o investimento social ainda não é uma abordagem seguida por todos os Estados Membros. Se quiser fazer um levantamento de boas práticas de luta contra a pobreza, o Conselho deverá certamente olhar para os resultados conseguidos até agora no domínio do investimento social e apoiar este tipo de iniciativa.

 

Bruxelas, 28 de Janeiro de 2016

Relatório síntese da reunião do Comité Económico Social Europeu

2016-01-26
Relatório síntese da reunião do Comité Económico Social Europeu

Aceda ao relatório síntese da reunião do Comité Económico e Social Europeu elaborado pelo representante da UGT, João Dias da Silva.

Plenário de 20 e 21 de Janeiro de 2016

Prémio Nobel da Paz no Plenário do Comité Económico e Social Europeu

2016-01-21
Prémio Nobel da Paz no Plenário do Comité Económico e Social Europeu

O plenário 

do Comité Económico e Social Europeu (CESE) encontra-se hoje reunido em Bruxelas para debater o papel da sociedade civil no processo de transição democrática, com especial enfoque no caso da Tunísia.

 

Para abordar este tema estiveram presentes os galardoados com o Prémio Nobel da Paz de 2015, o Quarteto Tunisino, reprseentados por Kacem Afaya, secretário-geral adjunto da União Geral dos Trabalhadores Tunisinos (UGTT), Slim Ghorbel, da União da Indústria, Comércio e artesanato e Ahmed ben Tahar Galai, vice-presidente da Liga Tunisina dos Direitos do Homem (LTDH) que nas suas intervenções fizeram importantes declarações, quer sobre a história do país, quer sobre o processo mais recente de consolidação da democracia na Tunísia.

 

 

 

Ver fotos (Flickr)