UGT - Comunicados

Notícias Internacionais

2015

UGT reúne com Carlos Moedas e Silva Peneda

2015-07-14
UGT reúne com Carlos Moedas e Silva Peneda

O Secretário-geral da UGT, Carlos Silva, lidera uma delegação da Central Sindical que se deslocou a Bruxelas para reunir com o Comissário Europeu, Carlos Moedas, e com o Conselheiro do Presidente da Comissão Europeia, José Silva Peneda.

Nestas reuniões, a UGT analisou e discutiu com cada um dos intervenientes o quadro de intervenção dos parceiros sociais no âmbito dos fundos comunitários no período compreendido entre 2014 e 2020.

O Secretário-geral foi também recebido na sede do Parlamento Europeu, em Bruxelas, pelo eurodeputado Francisco Assis, em representação de Elisa Ferreira, que por motivos de agenda não pode receber a comitiva sindical.

No dia 16, foi a vez do eurodeputado, José Manuel Fernandes receber o líder da UGT e os restantes dirigentes sindicais para uma discussão sobre o papel dos parceiros sociais no âmbito dos fundos comunitários e da Europa Social.

Ver fotos (Flickr)

São Tomé e Príncipe - UGT participa em seminários internacionais

2015-07-07
São Tomé e Príncipe - UGT participa em seminários internacionais

Entre os dias 7 e 8 de Julho, realizou-se em São Tomé dois seminários interncionais que juntaram a UGT e suas congéneres são tomenses, ONTSTP e UGT-S.Tomé.

Nestes encontros, nos quais a UGT se faz representar pelo seu Secretário-geral, debateram-se as questões da negociação coletiva e da legislação laboral, tendo em conta as realidades dos dois países.

No dia 9, o Secretário-geral foi ainda convidado pelo Sindicato dos Professores de São Tomé a fazer uma dissertação, para uma plateia de 60 professores, sobre a situação dos docentes e do movimento sindical em Portugal.

Além do Secretário-geral, Carlos Silva, constituiram ainda a delegação da UGT, o Secretário-geral adjunto, Luís Correia, o Secretário Executivo, responsável pelo pelouro da Negociação Coletiva, Sérgio Monte, o coordenador do gabinete jurídico, Carlos Alves, e o diretor do CEFOSAP, Jorge Mesquita.

CLIQUE AQUI PARA ACEDER À FOTOGALERIA

Declaração UGT sobre a Grécia

2015-07-02
Declaração UGT sobre a Grécia

Neste momento de grandes incertezas a UGT expressa a sua solidariedade para com os trabalhadores e os cidadãos gregos, bem como, com as centrais sindicais GSEE e ADEDY.

A Grécia tem sofrido enormes pressões para realizar reformas estruturais e aumentar a competitividade, independentemente dos custos sociais e humanitários.

Anos após o início do resgate a Grécia continua presa numa espiral negativa de que parece impossível sair. A Europa deve ajudar a Grécia a quebrar a espiral recessiva, não apenas por uma questão de solidariedade, mas também porque o Grexit é um enorme risco para o Projecto Europeu como um todo.

É urgente um claro empenho para um compromisso, tendo em conta a necessidade de conseguir um alívio da dívida, bem como, relançar a economia, financiar as políticas socias e fazer frente à emergência social.

Desistir da Grécia é desistir dos próprios fundamentos da integração Europeia. 

Declaração sobre a Imigração

2015-06-18
 Declaração sobre a Imigração

A UGT manifesta o seu apoio à Declaração sobre a Imigração adoptada pelo Comité Executivo da Confederação Europeia de Sindicatos (CES), na sua reunião de 17e 18 de Junho, na qual a CES defende uma resposta europeia face à tragédia do Mediterrâneo, que provoca a perda de milhares de vidas, o sofrimento terrível daqueles que procuram refúgio, que fogem da fome, da pobreza, da guerra e das perseguições.

A Europa deve ultrapassar as divisões e o nacionalismo e encontrar uma resposta comum - baseada nos princípios humanitários, na solidariedade, na integração e na inclusão - para esta emergência humanitária.

A UGT além de assinar a petição Europeia sobre a imigração também  expressa o seu apoio à manifestação convocada pelas confederações italianas para o próximo sábado, 20 de Junho, em Roma.

Legislar Melhor? - UGT apoia declaração da CES

2015-06-18
Legislar Melhor? - UGT apoia declaração da CES

O Pacote “LEGISLAR MELHOR” publicado em 19 de Maio pela Comissão Europeia assegura supostamente uma regulamentação Europeia melhor, mais simples, menos pesada.

A UGT, em consonância com a Confederação Europeia de Sindicatos (CES), apoia este objectivo. Nós queremos uma legislação que proteja os trabalhadores de forma simples e fácil de aplicar. A legislação deve evitar a burocracia e os custos inúteis.

De facto, o Pacote “LEGISLAR MELHOR” põe as supostas necessidades das empresas à frente de todas as outras; torna os padrões mínimos em máximos; atribui aos estudos de impacto um valor que eles não têm; traz consigo procedimentos burocráticos que tornam o processo mais caro e mais burocrático atrasando o progresso social; torna mais difícil para o Parlamento Europeu modificar as propostas da Comissão Europeia e mina o princípio da igualdade na aplicação das leis.

Em resumo, acrescenta “red tape”, atrasa a mudança e desdemocratiza a Europa. Estas alterações não desejadas estão também contidas no novo Acordo Interinstitucional entre o Parlamento, a Comissão e o Conselho Europeu no sentido de melhorar a coordenação durante a legislatura.