UGT - Comunicados

Notícias Internacionais

2022

UGT exige a libertação imediata dos dirigentes sindicais na Bielorrússia

2022-05-18
UGT exige a libertação imediata dos dirigentes sindicais na Bielorrússia

A 19 de Abril, o KGB bielorrusso prendeu mais de uma dúzia de activistas sindicais, incluindo a maioria dos líderes sindicais. Entre eles encontravam-se o Presidente do Congresso dos Sindicatos Democratas (BKDP) Alexandr Yarashuk, o vice-presidente Siarhei Antusevich, e o chefe do Sindicato Bielorrusso Livre Mikalaj Sharakh. Um deles, o chefe do Sindicato dos Sindicatos Livres dos Metalúrgicos (SPM) Aliaksandr Bukhvostau, teve um problema cardíaco e foi levado para o hospital. 

Desde Agosto de 2020, a repressão dos sindicalistas e activistas da sociedade civil na Bielorrússia tem continuado com mais de 1.200 pessoas presas pelo seu desacordo público com eleições fraudulentas ou participação em comícios e greves pacíficas. Apesar de uma severa repressão política, o BKDP condenou abertamente a invasão russa da Ucrânia e exigiu a retirada das tropas russas do território da Bielorrússia. 

A UGT,  junta a sua voz à CES/ ETUC e à CSI/ ITUC, na exigência de libertação imediata de todos os líderes e representantes sindicais, apelando à União Europeia e à OIT para que intervenham no sentido de garantir igualmente a sua segurança.