UGT - Comunicados

Notícias Internacionais

2020

60 milhões de trabalhadores dependem do plano de recuperação da U.E.

2020-07-15
60 milhões de trabalhadores dependem do plano de recuperação da U.E.

Mais de 10% da população da U.E. depende do fundo de recuperação para evitar ou escapar do desemprego, afirmam os sindicatos aos líderes nacionais que estarão presentes no próximo encontro crucial do Conselho Europeu.

A Confederação Europeia de Sindicatos (ETUC/CES) escreveu aos líderes das instituições da U.E. e a todos os 27 chefes de estado incitando-os a não adiar ainda mais a adoção do pacote de 750 mil milhões de euros necessário para salvar e criar empregos.

A CES disse aos líderes que existem atualmente:

  • 45 milhões de trabalhadores em regime de trabalho de curta duração, cujos empregos dependem de investimento;
  • 14,3 milhões de desempregados permanentes na U.E. - mais de 900.000 durante a crise;
  • 2 milhões de trabalhadores com contratos de curto prazo vulneráveis ​​ao desemprego.

Na carta do Secretário-Geral da CES, Luca Visentini, e do Presidente, Laurent Berge, pode ler-se:

“Juntas, essas são mais de 60 milhões de razões para lançar um plano de recuperação da U.E. agora. O plano de recuperação é provavelmente a decisão mais importante a ser tomada pela União Europeia por mais de uma década e não pode ser adiada novamente. Adiar o risco pode levar milhões ao desemprego e a um custo financeiro para os governos, muito mais alto do que financiar a recuperação.”

A CES também exorta os líderes da UE a defender certas linhas vermelhas durante as negociações sobre o pacote:

  • Nenhum aumento na parcela de empréstimos, a fim de minimizar seu impacto na dívida nacional;
  • Nenhuma redução do Quadro Financeiro Plurianual para proteger a coesão e os fundos sociais;
  • Nenhum direito de veto ou condicionantes orçamentais nos planos nacionais de recuperação.

Nota: Clique no link abaixo para ler a carta completa. (Tradução em PT da responsabilidade da UGT)