UGT - Comunicados

Notícias Internacionais

2018

Diretores Europeus recebem até 2 anos de salário médio em 4 dias de Davos

2018-01-19
Diretores Europeus recebem até 2 anos de salário médio em 4 dias de Davos

Durante os quatro dias em que os Diretores Executivos de empresas europeias irão comparecer no Fórum Económico Mundial em Davos na próxima semana, receberão mais do que a maioria das pessoas ganha em 18 meses ou dois anos.

De acordo com os dados sobre a remuneração média de Diretores da agência de notícias de negócios Bloomberg, em quatro dias em Davos, os Diretores

• do Reino Unido ganharão mais de 2 anos de salário médio (PIB per capita)

• da Holanda ganharão mais de 1 ano e 10 meses de salário médio

• da Suíça ganharão mais de 1 ano e 8 meses de salário médio

• da Espanha ganharão mais de 1 ano e 7 meses de salário médio

• e da Alemanha ganharão 18 meses de salário médio.

"Os Diretores que estarão presentes em Davos terão que acordar algo que contribua para a melhoria do mundo, de forma a justificar os ganhos de mais de um ano de salário médio anual", afirmou Luca Visentini, Secretário-geral da Confederação Europeia de Sindicatos (CES), que irá participar em Davos. "Vou solicitar aos Diretores que justifiquem os seus rendimentos através do apoio a salários justos para os trabalhadores das suas empresas e das cadeias de fornecedores".

"O tema do Fórum Económico Mundial deste ano é" criar um futuro compartilhado ", e os Diretores podem começar por concordar com a partilha dos rendimentos de forma mais justa", declarou Esther Lynch, Secretária Confederal da CES. "Isso significa garantir os direitos sindicais e a negociação coletiva nas suas próprias empresas e cadeias de fornecedores, e reverter a tendência crescente do falso emprego independente".

Para além de exigir direitos sindicais e negociações coletivas para alcançar salários justos, a CES apela a um debate mais amplo sobre medidas que combatam o pagamento excessivo dos executivos. As medidas poderiam incluir

  • Exigir que as empresas publiquem as diferenças salariais entre administração/ trabalhador (como no caso dos EUA)
  • Conceder aos trabalhadores e acionistas mais poder em relação ao estabelecimento da remuneração dos diretores/ administração
  • Reduzir a remuneração orientada para o mercado de ações e avançar para um pagamento a longo prazo mais orientado para a sustentabilidade
  • Um limite legal para os índices de remuneração (ou mesmo um limite ou taxa para as  remunerações demasiado elevadas)
  • Eliminar o sigilo de vencimento nos contratos de trabalho.  

"O mundo necessita que os trabalhadores obtenham aumentos salariais justos para impulsionar a procura económica e para combater a desigualdade", acrescentou Luca Visentini. "Isto é verdade tanto para a Europa como para outras partes do mundo".

Para mais informações sobre o salário médio dos Diretores Bloomberg consultar: https://www.bloomberg.com/news/articles/2017-12-28/ceos-in-u-s-india-earn-the-most-compared-with-average-workers

(Nota: Tradução da responsabilidade da UGT, com base na nota de imprensa da ETUC)