UGT - Comunicados

Notícias Internacionais

2017

ETUC - Trabalhadores em 7 países da UE em pior situação hoje do que há 8 anos

2017-03-13
ETUC - Trabalhadores em 7 países da UE em pior situação hoje do que há 8 anos

Os trabalhadores ainda não estão a sentir recuperação económica: os salários são hoje mais baixos do que há oito anos em sete Estados-Membros da UE, de acordo com uma nova pesquisa publicada hoje pelo Instituto Sindical Europeu (ETUI) e pela Confederação Europeia de Sindicatos (CES).

A pesquisa também mostra que em 18 países da UE os salários têm crescido muito mais lentamente ao longo dos sete anos após a crise do que nos oito anos anteriores.

Nos 7 anos entre 2009-2016 os salários reais (ajustados pela inflação) caíram anualmente em média 3,1% na Grécia; 1% na Croácia; 0,9% na Hungria; 0,7% em Portugal; 0,6% no Chipre; 0,4% no Reino Unido e 0,3% em Itália.

O crescimento dos salários reais foi mais baixo no período de 2009 a 2016 do que nos anos de 2001 a 2008 na Áustria, na Bélgica, na República Checa, na Dinamarca, na Estónia, na Finlândia, na França, na Irlanda, na Letónia, na Lituânia, no Luxemburgo, em Malta, nos Países Baixos, na Roménia e na Eslováquia, Eslovénia, Espanha e Suécia.

O crescimento médio anual dos salários reais sofreu uma queda na Roménia de 11,2% 2001-2008 para 0,1% 2009-2016, na Lituânia de 8,8 para 1% e na Letónia de 10,6 para 1,2%.

Apenas em 3 países - Alemanha, Polónia e Bulgária - os aumentos salariais reais em relação a 2009-16 superaram os aumentos do período 2001-08.

Mesmo em 2016, quando os salários reais começam a aumentar, na verdade diminuíram na Bélgica e estão quase estagnados em Itália, em França e na Grécia.

"São péssimas notícias, não só para os trabalhadores e para as suas famílias, mas também para os negócios", afirmou a Secretária Confederal da CES, Esther Lynch. "Se os trabalhadores têm menos para gastar os negócios também sofrem."

"É hora de uma recuperação real. Os trabalhadores em toda a Europa precisam de um aumento salarial. Os salários estão a começar a melhorar, mas há um grande atraso que tem que ser recuperado."

Mais informação

Estas conclusões encontram-se no documento "Benchmarking Working Europe 2017", publicado pelo ETUI e pela CES (VER link abaixo)

A CES está a organizar a campanha “A Europa necessita de um aumento salarial”  www.payrise.eu

NOTA: Esta tradução é da responsabilidade da UGT

Ver link