UGT - Comunicados

Comunicados

2020

COVID-19: FNE faz doação de 5000 viseiras de proteção de rosto

2020-04-01
COVID-19: FNE faz doação de 5000 viseiras de proteção de rosto

De forma a apoiar os profissionais de saúde que estão na linha da frente da prevenção e combate à covid-19, a Federação Nacional da Educação (FNE) e os seus sindicatos vão doar cerca de 5000 viseiras de proteção de rosto a hospitais, centros de saúde, bombeiros e a escolas, de norte a sul do país.

As viseiras serão doadas a várias instituições de saúde e outras entidades, iniciando-se simbolicamente com uma primeira entrega de 500 viseiras ao Hospital de São João, no Porto já esta semana. Depois, a entrega deste material chegará às entidades mais diversas, como ao Hospital Distrital de Santarém, ao Hospital de Faro, ao Hospital Eduardo Santos Silva, aos Bombeiros Sapadores e Voluntários de Coimbra, e ainda aos Bombeiros Voluntários de Algés, de Felgueiras e da Lixa, ao Banco Alimentar, bem como à Santa Casa da Misericórdia de Santarém.

A cadeia de solidariedade está a construir-se no nosso dia-a-dia, onde todos dependemos de todos, com a FNE e os seus sindicatos a contribuírem desta forma para transmitirem uma imagem de otimismo e crença na ultrapassagem desta situação.

Esta é uma forma que a FNE e os seus sindicatos membros escolheram para reforçar a sua palavra de alento e de obrigado para todos os profissionais da área da saúde desde médicos, enfermeiros, farmacêuticos, técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica, bombeiros, assistentes técnicos e assistentes operacionais que lutam todos os dias debaixo de uma pressão que nunca julgámos vir a viver nos tempos modernos.

Para completar o sucesso do trabalho desses profissionais, continua a ser imprescindível que prossiga o trabalho dos Educadores e Professores e dos outros Trabalhadores que asseguram serviços essenciais e o funcionamento da economia no que é indispensável para a nossa vida de todos dias.

Os sindicatos da FNE trabalham, a todos os níveis, para ajudar a proteger a saúde de todos e garantir que há respostas para as necessidades básicas da população.

 

Juntos #vamosdaravoltaovirus.

FESAP exige manutenção do rendimento de quem cuida de descendentes ou ascendentes

2020-03-27
FESAP exige manutenção do rendimento de quem cuida de descendentes ou ascendentes

Não obstante considerar que, no geral, são positivas as medidas avançadas esta quinta-feira, 26 de março, pelo Governo, através do Decreto-lei nº10-K/2020, de 26 de março, sobre o Regime de Faltas para Assistência à Família, a FESAP não pode deixar de as considerar insuficientes, uma vez que não salvaguardam as famílias que já se encontram com os rendimentos reduzidos porque perante a atual situação pandémica estão impossibilitadas de trabalhar e não têm nenhuma alternativa senão a de cuidarem elas próprias tanto de descendentes como de ascendentes.

Covid - 19 - UGT- Aveiro cancela actividades e encerra instalações

2020-03-26
Covid - 19 - UGT- Aveiro cancela actividades e encerra instalações

Face à situação de pandemia, a UGT-Aveiro enviou uma nota aos sindicatos a informar que  decidiu cancelar as actividades programadas e encerrar as suas instalações.

"Caríssimos, 

Portugal atravessa uma situação difícil pela propagação da Pandemia COVID-19. 

O Secretariado da UGT - Aveiro decidiu que este momento é de recolhimento, e solidariedade, temos como prioridade a Protecção de TODOS NÓS. 

Por tal e até nova avaliação, informamos que se encontram canceladas todas as actividades programadas pela UGT – Aveiro, assim como o encerramento temporário da sede em Aveiro. 

Pedimos a todos que, caso necessitem dos nossos serviços, que utilizem o nosso correio eletrónico: aveiro@ugt.pt  que responderemos de forma célere. 

Com os nossos melhores cumprimentos, votos de muita Saúde para todos NÓS, Família e Amigos, 

Aveiro, 24 de Março de 2020 

Pelo Secretariado da UGT Aveiro"

Covid-19 - A pandemia que alterou as nossas vidas

2020-03-22
Covid-19 - A pandemia que alterou as nossas vidas

A UGT encerrou as suas instalações no dia 18, na defesa dos seus 30 trabalhadores e dos seus dirigentes, mas também de todos quantos nos visitam e frequentam o nosso quotidiano, face a tempos estranhos que todos vivemos, onde o teletrabalho passou de uma figura jurídica do código do trabalho para a prática diária das nossas relações laborais, assim, como um estalar de dedos.

Mas não deixámos de desempenhar as nossas funções sindicais, com a nossa intervenção na concertação social, ainda que em teleconferência, para apresentarmos e defendermos a nossa visão em defesa dos trabalhadores e dos apoios sociais que devem ser tidos em conta pelo governo neste atípico período que atravessamos.

Mantemos uma ligação estreita com os nossos sindicatos e uniões distritais e regionais no levantamento das situações criadas por muitas empresas, face ao pânico dos encerramentos temporários de muitas, e das soluções encontradas por muitos empresários para que a economia não estagne e se possam manter os postos de trabalho, preservando a saúde de todos quantos garantem a viabilidade e sustentabilidade das empresas - patrões e trabalhadores.

Temos conseguido manter canais de informação on-line para que todos quantos nos procuram com as suas preocupações e problemas possam ser encaminhados para as desejáveis soluções.

Mantemos uma ligação regular com a comunicação social, onde a nossa voz e as nossas mensagens têm fluído com a possível atualidade.

Os nossos trabalhadores funcionam em rede, com o objetivo de não parar a nossa imensa rede de contactos nacionais e internacionais, informando os nossos parceiros europeus e globais - CSI, CES, CESE - da evolução da pandemia e das respostas das autoridades nacionais às gravosas consequências para a economia nacional, para as empresas e para o emprego.

Não nos cansamos de promover junto do governo a produção das melhores soluções na defesa de todos quantos combatem na linha da frente para estancar e vencer este inimigo invisível que nos ameaça - enfermeiros, médicos, auxiliares de saúde, técnicos de diagnóstico e terapêutica, investigadores e académicos, mas também trabalhadores de áreas essenciais à garantia de abastecimento de bens essenciais às pessoas e animais.

Tudo continuaremos a fazer e a desenvolver, de forma proativa para ajudar Portugal e os portugueses a ultrapassar, com êxito, esta etapa da nossa história comum.

E contamos com os nossos parceiros europeus no apoio de recursos e de decisões que nos ajudem a sentir, a todos, que a Europa não é uma miragem, mas sim um imenso coletivo, que é capaz de reagir, mesmo que tardiamente e de forma algo atabalhoada, na nossa defesa comum.

Este é o papel que a UGT, enquanto parceiro social, sabe e deve continuar a desempenhar.

Carlos Silva

Secretário-Geral da UGT

Covid-19 - SITESE apela à calma das entidades empregadoras

2020-03-20
Covid-19 - SITESE apela à calma das entidades empregadoras

Exmos. Senhores,

Vivemos tempos de enorme preocupação, quer quanto ao presente, quer quanto ao futuro.

Tempos que devem contar com o melhor de nós. Por essa razão, o SITESE vem, pelo presente, fazer dois apelos:

Desde logo, apelamos que cumpram com todas as recomendações públicas para contenção do vírus e que permitam aos trabalhadores não só que vão para casa, mas também que, tendo que ir trabalhar, o façam com equipamento de proteção individual e com a possibilidade de garantir uma distância mínima de um metro entre postos de trabalho, preferencialmente sem partilha de material.

Por outro lado, apelamos à calma na altura de tomar medidas face às dificuldades que todas as entidades empregadoras vão atravessar. As melhores decisões são tomadas em debate, na procura de consensos.

E, para isso, o SITESE está disponível para dialogar. Seja na contratação coletiva, seja na prevenção de conflitos, o diálogo pode ser a chave para a resolução das questões mais complicadas.

Em nome dos nossos associados e dos trabalhadores em geral, o SITESE manifesta a sua total disponibilidade para colaborar na procura de soluções.

Assim, também de forma a dar continuidade aos processos negociais em curso, o SITESE está disponível por e-mail, telemóvel ou videoconferência, de modo a promover o desenvolvimento dos mesmos, para evitar que a os mesmos parem neste período de incerteza.

Saudações sindicais,

A Direção