UGT - Comunicados

Comunicados

2021

SITRA alcança acordo e melhora condições dos trabalhadores da CarrisBus

2021-05-27
SITRA alcança acordo e melhora condições dos trabalhadores da CarrisBus

O SITRA assinou hoje, a revisão do seu Acordo de Empresa relativo a 2021, proporcionando desta forma aos trabalhadores da CarrisBus melhores condições gerais de trabalho, como as remuneratórias, e as restantes, igualizando-as quase na sua totalidade, aos trabalhadores da Carris.

Não ficámos a aguardar pela decisão da C.M. Lisboa, para que as condições gerais dos trabalhadores da CarrisBus possam ser equiparadas aos trabalhadores da Carris, mesmo estando convictos que o estudo solicitado, e que agora em fase de conclusão, seja favorável à integração na “casa mãe” Carris.

Estamos absolutamente empenhados, independentemente das circunstâncias e dos “timings” das mesmas, a “libertar” as amarras e as pressões, a que os trabalhadores oficinais se veem sujeitos, por intimidação de alguns, que pensam que podem “manipular” e utilizar, os trabalhadores para as suas lutas políticas.

Enquanto uns “apregoam” a unidade de ação dos trabalhadores da Carris e da CarrisBus, e depois faltam á verdade, levando para as suas lutas, só os trabalhadores oficinais da CarrisBus, o SITRA faz trabalho concreto, que para além da revisão do A.E. SITRA agora assinado para a CarrisBus, solicitou a análise e compromissos para os trabalhadores oficinais que são trabalhadores da Carris e estão cedidos à Bus. 

Falamos das remunerações que agora auferem, fruto do contrato de cedência individual, sejam garantidas quando regressarem á Carris, assim, como a análise e reclassificação das suas categorias de origem que ainda possuem, para a integração dos mesmos nas respetivas funções  que  executam  atualmente.  Para tal é necessário fazer a análise das situações profissionais, individualmente, algo que deveria ter sido feita ao longo dos anos de existência da CarrisBus, pelas próprias chefias com responsabilidade de direção.

Não temos a veleidade de querer ser os “donos” da negociação coletiva, deixamos isso para outros, mas não vamos tolerar que os trabalhadores não sejam livres de estar sindicalizados, onde querem, e denunciaremos qualquer tipo de pressão “pidescas”, que alguns que já tiveram grandes  responsabilidades  em  certos  órgãos  representativos  dos  trabalhadores,  utilizam  no seu dia a dia, no conforto do seu gabinete, enquanto os seus “camaradas” andam fardados e com as mãos na “ferrugem” como, orgulhosamente se identificam os próprios trabalhadores oficinais.

A democracia não pode ser só apregoada, mas sim exercida, e como tal, para quem pensa que as oficinas pertencem a alguma organização   sindical, está enganado e os trabalhadores têm provas disso, através do trabalho realizado e que está bem à vista de todos. Nesse sentido, estaremos nas estações para esclarecer e clarificar o que propusemos, quais as matérias acordadas e o que nos separa do AE Carris.

A DECISÃO DE ESCOLHA DO SINDICATO NÃO CABE A ALGUNS, MAS SIM A CADA TRABALHADOR INDIVIDUALMENTE

 

 

UGT-Portalegre | Nota de pesar pelo falecimento de José Manuel Barradas

2021-05-24
UGT-Portalegre | Nota de pesar pelo falecimento de José Manuel Barradas

A UGT Portalegre, através do seu Secretariado distrital e restantes Órgãos Sociais, vem por este meio manifestar o seu sentimento de pesar pelo falecimento, durante a noite de hoje, vítima de doença prolongada, do portalegrense José Manuel Pinheiro Barradas, respeitável dirigente nacional da UGT logo na base da sua fundação.

Um dos fundadores da Carta Aberta, foi também membro do Secretariado instalador da UGT nacional, entre 28 e 29 de Outubro de 1978 e 27 e 28 de Janeiro de 1979, órgão a que foi desde logo cometido o encargo de preparar um caderno reivindicativo e a realização do I Congresso na nova organização sindical, no Porto. Veio depois a fazer parte do 1.o Secretariado Nacional da UGT, cujo Secretário-geral eleito foi Torres Couto. Foi ainda membro da Delegação da UGT Portuguesa para acompanhamento da Comissão Económica e Social da Comunidade Europeia em Bruxelas.

Neste momento de dor, a UGT Portalegre solidariza-se com a sua família e amigos, a quem apresenta as mais sentidas condolências.

 

O Presidente da UGT Portalegre

Marco António Barreto Lourenço de Oliveira

SPZC | Onda de descontentamento invade educadores e professores

2021-05-18
SPZC | Onda de descontentamento invade educadores e professores

Docentes do Pré-escolar e 1.º ciclo estão particularmente dececionados com os horários e condições de trabalho. Também os colegas que exercem no 2.º e 3.º ciclos, Secundário e Superior continuam a não ver resolvidos problemas por incúria das respetivas tutelas

Mais de quatro dezenas de dirigentes do SPZC reuniram neste dia 15 de maio o órgão de Direção para a análise da situação que se vive nas escolas e, globalmente, na educação.

Os docentes da monodocência, educadores e professores do 1.º ciclo, estão dececionados, descontentes e desmotivados com a realidade ao nível dos horários e das condições de trabalho. O SPZC não esquece esta situação particular e, sendo um sindicato transversal, que abarca todos os níveis e sectores de ensino, trabalha e dá resposta na base do equilíbrio e da equidade.

Também a questão da autoridade dos docentes, do reconhecimento do seu empenho e trabalho, é uma matéria que merece especial preocupação da parte dos dirigentes sindicais. Os episódios de maus-tratos e de injúrias da parte de alguns pais e encarregados de educação e alunos em relação aos docentes preocupam e são alvo de uma atenção especial do SPZC.

Já o Ensino Superior está a marcar passo em relação à resolução dos seus reais problemas. O ministro Manuel Heitor tem-se pautado com atitudes isoladas, que apenas fazem prova de vida, não dando a resposta devida às fragilidades há muito identificadas nos subsistemas politécnico e universitário. Ainda assim, e sem rodeios, o SPZC e a FNE não deixarão de apresentar a lista de casos problemáticos em sede própria.

Para que se possa ter um elenco de propostas credíveis, justas e concretizáveis, os dirigentes do SPZC continuam empenhados na recolha exaustiva das propostas relacionadas com os concursos, a vinculação, a aposentação, o rejuvenescimento, a eliminação da precariedade, a formação inicial de docentes.

As condições da aposentação têm de ser revistas. Não é aceitável, nem sequer imaginável (ainda que tal já ocorra no dia a dia), ter por exemplo, educadores de infância com 65 anos de idade à frente de um grupo de crianças com 3 e 4 anos, que obrigam a uma atenção especial e a exigências físicas que não são compatíveis com essa idade.

As 12 delegações do SPZC estão já com serviços presenciais no seu horário normal. Além da entrega do kit dos 45 anos, que inclui um “mimo” digital, está a reforçar-se o apelo para a instalação da aplicação (app) do SPZC. Através dela é possível trazer o SPZC no bolso, com informações atualizadas em tempo real. Sublinhe-se que é no campo das redes sociais, no uso das diversas plataformas digitais, que os ganhos de visibilidade e adesão têm sido inequívocos, sempre com uma informação baseada no RIGOR e na CONFIANÇA.

SINTAP desmonta as mentiras do STAL

2021-05-13
SINTAP desmonta as mentiras do STAL

Em comunicado divulgado nos locais de trabalho, o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL), afeto à Frente Comum/CGTP, aponta o SINTAP e a UGT como responsáveis por um aumento dos encargos dos beneficiários da ADSE por força da revisão das tabelas do regime convencionado, e afirmando que os representantes da Frente Comum terão votado contra as novas tabelas.

Claramente que os interesses que movem o STAL divergem dos interesses dos trabalhadores e dos beneficiários da ADSE, sendo notória a tentativa de recuperar o terreno que paulatinamente perde para o SINTAP, não olhando aos meios para alcançar os seus objetivos, e recorrendo, com facilidade e sem escrúpulos, à mentira e à difamação.

Leia o Comunicado do SINTAP no link abaixo

SINTAP e Conselho de Administração da APdSE assinaram acordo que amplia direitos dos trabalhadores

2021-05-10
SINTAP e Conselho de Administração da APdSE assinaram acordo que amplia direitos dos trabalhadores

O SINTAP e o Conselho de Administração da Águas Públicas da Serra da Estrela, EIM, SA (APdSE), representado por Carlos Alexandrino (Presidente da Câmara de Oliveira do Hospital), Carlos Filipe Camelo (Presidente da Câmara de Seia) e Luís Tadeu (Presidente da Câmara de Gouveia), assinaram, esta segunda-feira, 10 de maio, um Acordo de Empresa (AE) que resulta na ampliação dos direitos dos trabalhadores daquela empresa intermunicipal de capitais aticos exclusivamente públicos.

Leia no Link abaixo o comunicado do SINTAP