UGT - Comunicados

Comunicados

2020

UGT APOIA GREVE DOS TRABALHADORES DOS CTT

2020-05-28
UGT APOIA GREVE DOS TRABALHADORES DOS CTT

Foi decretada pelo SINDETELCO, e restantes Sindicatos representativos dos trabalhadores dos CTT – Correios de Portugal S.A. – uma greve de 24 horas para o dia 29 de maio de 2020.

A UGT manifesta, desde já, o seu apoio ao seu sindicato filiado SINDETELCO e a todos os trabalhadores dos CTT em greve, em defesa do seu contrato coletivo de trabalho.

Não podemos, no entanto, deixar de lamentar que os esforços levados a cabo, quer pela UGT, quer pelo SINDETELCO, não tenham surtido o efeito desejável, ou seja, a obtenção de um consenso.

Com efeito, esteve-se muito próximo de um acordo, mas a intransigência da Empresa na defesa dos seus pontos de vista não o permitiu, o que certamente inviabilizou uma solução negociada e em consenso.

O SINDETELCO sempre demonstrou capacidade e disponibilidade negocial, mesmo quando os CTT, de forma explícita, durante o processo negocial, ameaçavam recorrer ao lay-off, sabendo-se que esta é uma das poucas empresas que continuou a laborar a cem por cento.

Na última reunião de negociações, já efectuada sob a conciliação da DGERT, o SINDETELCO voltou a reformular a sua proposta, que foi posteriormente subscrita pelos restantes Sindicatos, mas não recebeu resposta por parte da Administração.

Esperamos que o bom-senso possa imperar e a Administração dos CTT reflita sobre as vantagens da negociação coletiva e dos benefícios que a paz social representa para as duas partes, empregador e trabalhadores.

O Secretariado Executivo

SINDEL - TABELA SALARIAL 2020 – ACORDO A 1% BASEADO EM FIRMEZA A 100%!

2020-05-27
SINDEL - TABELA SALARIAL 2020 – ACORDO A 1%  BASEADO EM FIRMEZA A 100%!

Apesar dos tempos por que passámos e que ainda vivemos, o bom senso imperou e foi finalmente possível chegar a um acordo salarial para 2020, na EDP. Assim, ficou hoje estabelecido – a partir da base 8, inclusive – um aumento de 1% na remuneração, com arredondamento ao euro superior, aumento esse extensível a todas as cláusulas de expressão pecuniária. Este acordo tem efeitos a 1 de janeiro de 2020.
Para que este acordo – conseguido em tempos e condições excecionais – pudesse receber a assinatura do SINDEL - Sindicato Nacional da Industria e da Energia foi decisiva a resolução (ou prenúncio de resolução), de uma vez por todas, de um conjunto de questões que se têm arrastado ao longo dos anos, como seja a valorização dos salários mais baixos. A partir de hoje, o salário de ingresso na EDP passa a ser de 1.000,00 € nas BR e de 1.500,00 € nas Letras. Retomou-se, deste modo e com toda a justiça, a distância histórica da EDP em relação ao Salário Mínimo Nacional.
 
Leia o comunicado do SINDEL na íntegra no link abaixo

FESAP e FNIE - Governo reforça ACT com inspetores sem experiência na área do trabalho

2020-05-12
FESAP e FNIE - Governo reforça ACT com inspetores sem experiência na área do trabalho

Foi com espanto que a FESAP e a FNIE (Federação Nacional de Inspetores do Estado) verificaram que o Governo optou por reforçar os serviços desconcentrados da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) com 150 inspetores provenientes de outras carreiras inspetivas, ignorando por completo os pedidos de mobilidade que, em muitos casos, aguardam deferimento há vários anos.

Num período tão sensível como o que atravessamos por força da pandemia de Covid-19, com evidentes impactos na organização das empresas e do trabalho, não deixa de ser surpreendente que não se tenha, desde logo, recorrido aos trabalhadores que existem no seio da ACT, optando por outros cuja experiência em lidar com as sensíveis questões com que lidam os inspetores do trabalhos é nula, não sendo de todo substituível por qualquer tentativa de formação apressada.

Leia a nota de imprensa na íntegra no link abaixo

28 de Abril - Empregadores devem zelar pela segurança e saúde dos seus trabalhadores

2020-04-27
28 de Abril - Empregadores devem zelar pela segurança e saúde dos seus trabalhadores

Esta terça-feira, 28 de abril, assinala-se o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, data que este ano assume particular relevância dada a crise pandémica de Covid-19 que o mundo vive de uma forma global, numa situação que está a afetar Portugal e os trabalhadores portugueses de modo particularmente grave.

Sendo a Segurança e Saúde no Trabalho uma questão à qual a FESAP presta particular atenção, sempre presente nos seus documentos reivindicativos e sempre colocada em cima das mesas negociais em que participa, a nível Central, Regional e Local da Administração Pública, não poderia a Federação deixar passar este importante dia sem frisar o que tem vindo a exigir das entidades públicas e privadas no que respeita à proteção individual dos trabalhadores numa situação particularmente delicada para todos.

Leia a nota de imprensa da FESAP na íntegra no link abaixo

FESAP - Celebrar a Liberdade, o Trabalho e os trabalhadores

2020-04-24
FESAP - Celebrar a Liberdade, o Trabalho e os trabalhadores

Num momento de grandes dificuldades para o país devido aos constrangimentos impostos pelo surto da Covid-19, o 25 de Abril e 1º de Maio não poderão assinalar-se nos moldes a que estamos acostumados, em festa e em conjunto com os trabalhadores, pelo que optaremos pela solução adotada pela nossa Central Sindical, UGT, para celebrar essas duas importantes datas, privilegiando as redes sociais e o correio eletrónico como veículo de propagação da nossa mensagem.

(...)

Em termos gerais, importa neste 1º de Maio apelar ao Estado e a todos os agentes económicos para que recorram a todos os meios ao seu alcance, incluindo o diálogo social e a negociação coletiva, para manterem cada posto de trabalho e o pagamento integral dos salários, assegurando desse modo a subsistência dos trabalhadores e suas famílias, conseguindo assim que os impactos negativos desta crise pandémica possam ser rapidamente ultrapassados e que Portugal possa retomar o caminho da recuperação e o crescimento económico e social.

A FESAP apela ao Governo no sentido de garantir a manutenção de todos os postos de trabalho, evitando despedimentos injustificados, em todos os serviços públicos da Administração Central, Regional e Local, no setor empresarial público, bem como nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira, seja qual for o vínculo laboral.

Leia o comunicado do SINTAP na íntegra no link abaixo

Descarregue o Cartaz da FESAP no link abaixo