UGT - Comunicados

Notícias

2016

UGT em Ponte de Sôr e Gavião

2016-04-20
UGT em Ponte de Sôr e Gavião

Uma forte delegação da UGT deslocou-se aos municípios de Ponte de Sôr e do Gavião em mais uma ação de contacto com os trabalhadores e de reforço da coesão territorial.

Nesta visita, a comitiva liderada pelo Secretário-geral da UGT, Carlos Silva, que para além de vários elementos do Secretariado Executivo da UGT, contou também com a presença do Secretário-geral do SINDEQ, Osvaldo Pinho, o Secretario-geral do SINTAP, José Abraão, assim como o Presidente da UGT-Portalegre, Chambel Tomé, teve a oportunidade de reunir com o Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Sôr, Dr Hugo Luis Pereira Hilário, onde salientou o trabalho positivo desenvolvido pelo edil na procura da captação de investimentos que promovam a criação de postos de trabalho e a respetiva fixação da população, como é o caso do Aerodromo Municipal de Ponte de Sôr, onde a UGT pode presenciar o potencial de crescimento deste investimento.

Da parte da tarde a comitiva seguiu para o município do Gavião, onde foi alvo de uma calorosa recepção pelo Sr. Presidente da Câmara Municipal do Gavião, José Fernando da Silva Pio, após a qual contactou com os trabalhadores e administração da Corticeira AJT e da COFRI.

Clique AQUI para aceder à fotogaleria da visita a Ponte de Sôr

Clique AQUI para aceder à fotogaleria da visita ao Gavião

UGT: Governo deve "resistir às pressões europeias"

2016-04-19
UGT: Governo deve "resistir às pressões europeias"

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, considerou esta terça-feira que o Governo português deve “resistir às pressões europeias” e provar que a sua execução orçamental vai corresponder às expectativas criadas ao país.

Contudo, Carlos Silva salientou que Portugal "deve rejeitar as pressões externas vindas de Bruxelas, que em nada dignificam a harmonia e a construção da Europa”.

(Fonte: TVI)

Ver link

UGT desafia Governo e patrões a reverem acordo de 2012

2016-04-15
UGT desafia Governo e patrões a reverem acordo de 2012

No final da audiência de hoje com o Presidente da República, o Secretário-geral da UGT denunciou o esvaziamento da concertação social e lançou um desafio ao Governo e às confederações patronais para que se sentem à mesa e cheguem a um acordo em algumas matérias que estão a ser discutidas no parlamento.

(Fonte: TVI)

Leia a notícia na integra AQUI

 

Oliveira de Azeméis recebe a UGT

2016-04-01
Oliveira de Azeméis recebe a UGT

Hoje foi a vez de Oliveira de Azeméis receber a visita da UGT para mais uma série de encontros com a autarquia, empresários e trabalhadores.

À semelhança do que tem acontecido noutros distritos, a UGT aceitou mais um convite das suas organizações filiadas e deslocou-se hoje por iniciativa do SINDEQ à cidade de Oliveira de Azeméis, onde durante todo o dia tem agendadas reuniões com o Presidente da Câmara Municipal, Dr. Hermínio Loureiro, com as administrações e os trabalhadores das empresas SIMOLDES Plásticos e da JPS.CORK GROUP.

Clique AQUI e veja a fotogaleria

Clique AQUI e veja o discurso do Secretário-geral da UGT na recepção na Câmara Municipal 

 

Ver fotos (Flickr)

UGT reuniu com a líder do CDS

2016-03-31
UGT reuniu com a líder do CDS

A direcção da UGT recebeu na sua sede a nova presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, que pediu uma reunião com a central sindical para a apresentação de cumprimentos  e para a apreciação de algumas das matérias propostas no último congresso do partido.

No final da reunião em declarações aos jornalistas, o líder da UGT, Carlos Silva, afirmou que alguns dos temas abordados merecem por parte da central sindical disponibilidade para serem debatidos e aprofundados, designadamente as questões da natalidade, da igualdade de género e da interioridade.

Neste quadro, Carlos Silva confirmou a abertura da central para colaborar em futuros grupos de trabalho do partido, de modo a analisar de uma perspectiva sindical algumas das matérias propostas pelo CDS.

O secretário-geral da UGT elogiou ainda o facto de o Governo ter decidido "meter as mãos na massa" em relação aos lesados do BES ao ter assumido a necessidade de ser um "agente facilitador" para resolver o problema. Carlos Silva recordou que "o anterior Governo não fez bem quando lavou as mãos como Pilatos em relação ao processo de resolução do Novo Banco", havendo hoje "um problema que resultou para os lesados do BES".

No final o líder da UGT fez também referência ao Plano Nacional de Reformas que será discutido durante a tarde em concertação social e congratulou-se com o facto de ser um documento essencial para dar mais estabilidade ao País, pois implca um conjunto de reformas estruturais que Portugal não pode adiar.

Clique AQUI para a fotogaleria

Clique AQUI e veja as declarações de Carlos Silva no final da reunião