UGT - Comunicados

Notícias

2021

UGT apoia reivindicações dos seus sindicatos dos bancários ao Banco Santander

2021-04-30
UGT apoia reivindicações dos seus sindicatos dos bancários ao Banco Santander

Perante a enorme pressão criada pela Administração do Banco Santander junto dos trabalhadores, onde o processo de restruturação tem decorrido através de rescisões por mútuo acordo, verifica-se que pairam ameaças que as rescisões avancem sem o caráter voluntário por parte dos trabalhadores, o que inquina o processo e instabiliza a relação de diálogo social que os sindicatos da UGT sempre priorizaram com o Banco.

Perante o exposto, a UGT acompanha a evolução deste processo com a necessária atenção e cuidado, indo solicitar uma audiência ao Governo para expôr o assunto e apoiará todas as ações que os seus Sindicatos intentem para repor a transparência e a legalidade no processo de restruturação que o Banco Santander pretende levar a cabo.

No atual momento político e social que o país atravessa, importa que as empresas tenham a necessária sensibilidade social para tratar destes assuntos - com humanismo e respeito. Os trabalhadores não são máquinas ou algoritmos.

Carlos Silva

O Secretário Geral da UGT

Nota de Pesar pelo falecimento do Presidente da UGT-Beja

2021-04-29
Nota de Pesar pelo falecimento do Presidente da UGT-Beja

É com profundo pesar que a UGT comunica o falecimento do Presidente da UGT-Beja Joaquim Maurício.

Neste momento de tristeza e profunda consternação, o Secretário-geral da UGT, em seu nome pessoal e do Secretariado Executivo da central, apresenta à família enlutada as mais sentidas condolências.

TEMPO DE ANTENA - 1.º MAIO 2021 - DIA DO TRABALHADOR

2021-04-23
TEMPO DE ANTENA  - 1.º MAIO 2021 - DIA DO TRABALHADOR

Veja o Tempo de antena da UGT dedicado ao 1.º de Maio - Dia do Trabalhador

Carlos Silva | "A polémica em torno do 25 de Abril era evitável"

2021-04-21
Carlos Silva | "A polémica em torno do 25 de Abril era evitável"

O Secretário-geral da UGT considera que a polémica em torno das comemorações do 25 de Abril era evitável.

“É um erro”. Foi com estas palavras que o líder da UGT classificou a decisão tomada para as comemorações do 25 de Abril, que só permite que possa participar no desfile da Avenida da Liberdade quem faz parte da comissão organizadora.

“O acesso reservado à participação é um erro. Parece que o 25 de Abril é detido por uma elite”, sustenta.

Carlos Silva acrescentou que a UGT, em devido tempo, informou a Associação 25 de Abril que não iria participar, em virtude do momento de estado de emergência que o país vive e que continua a confinar milhares de portugueses, que cumprem regras rígidas para se protegerem a si e às suas famílias.

© TSF

© RÁDIO OBSERVADOR

Ciclo de webinários sindicais FNE: | José Cordeiro: "O movimento sindical não pode deixar ninguém para trás"

2021-04-16
Ciclo de webinários sindicais FNE: | José Cordeiro: "O movimento sindical não pode deixar ninguém para trás"

José Cordeiro, Secretário-Geral Adjunto (SGA) da União Geral de Trabalhadores (UGT) e dirigente do Sindicato Democrático dos Professores da Grande Lisboa (SDPGL) foi o primeiro convidado do ciclo de Webinários com dirigentes sindicais "Desafios aos Sindicatos na pós-pandemia", organizado pela Federação Nacional da Educação (FNE) e pelo Canal4 da AFIET, que contou com a moderação de Pedro Barreiros, Vice-Presidente da AFIET.

O diálogo abriu com o dirigente sindical da UGT a defender que o futuro exige mudanças nas relações sociais, recordando que o papel do sindicato depende acima de tudo "daquilo que o sindicalista faz na procura por justiça aos injustiçados. A missão de um sindicalista é equilibrar as partes quando não há justiça, sendo que esse é, para mim, o grande objetivo da negociação coletiva". E acrescenta: “Na mitologia grega, na Caixa de Pandora ficou a esperança. E todo o movimento sindical se rege pela Esperança”.

José Cordeiro partiu para uma breve reflexão histórica sobre aquilo que foi a construção da UGT, nascida com Sá Carneiro e Mário Soares. E começou por fazê-lo recordando as palavras do político e professor universitário, Mário Sottomayor Cardia, para quem “a última das liberdades conquistadas com Abril foi a liberdade sindical", acrescentando depois a importância da UGT na democratização do movimento sindical em Portugal, que proporcionou o diálogo social, a negociação coletiva, o aparecimento de sindicatos democráticos, algo que demonstra o papel fundamental dessa conquista da central sindical.

Especialista em Filosofia Política e intervenção sindical, José Cordeiro não tem dúvidas que, vários desafios e conquistas depois, "a UGT tem hoje capacidade para se tornar na maior Central Sindical portuguesa. Acima de tudo, porque tem provado que consegue adaptar-se aos novos tempos, sem amarras ideológicas".

A UGT tem um foco muito relevante, que é a concertação social. Mas não vive só do panorama nacional, pois "a Central é reconhecida internacionalmente. Entre outras, a UGT tem reuniões na ONU, no FMI, na OCDE, na União Europeia e tem 'arcaboiço' para se aguentar, tendo até algo praticamente irrepetível que é o facto de Maria Helena André, sindicalista da UGT, ser Diretora do Departamento das Atividades dos Trabalhadores (ACTRAV) da OIT - Organização Internacional do Trabalho, em Genebra". Por outro lado, é a única central portuguesa na Confederação Sindical Internacional (CSI) e no Comité Sindical Consultivo da OCDE – TUAC.

Leia o artigo na íntegra no site da FNE em https://bit.ly/3aggAXy