UGT - Comunicados

Notícias

2018

UGT no encerramento do XIV Congresso dos TSD

2018-11-11
UGT no encerramento do XIV Congresso dos TSD

A UGT fez-se representar pelo seu Secretário-geral, Carlos Silva, e pelo Secretário-geral adjunto, Sérgio Monte, no XIV Congresso nacional dos Trabalhadores Social Democratas que teve lugar este fim de semana na Póvoa do Varzim e que reelegeu Pedro Roque como Secretário-geral.

 

Ver fotos (Flickr)

Eleições Europeias: UGT ao lado da CES no apelo para uma campanha virada para os direitos sociais

2018-11-08
Eleições Europeias: UGT ao lado da CES no apelo para uma campanha virada para os direitos sociais

O Secretário-geral da UGT, Carlos Silva, esteve ontem ao lado do Secretário-geral da Confederação Europeia de Sindicatos (CES), Luca Visentini, numa reunião com o primeiro-ministro português, António Costa, na qual apelou para que se coloque no debate para as eleições europeias as questões sociais e do crescimento sustentável da economia, numa resposta clara aos problemas dos trabalhadores.

Em declarações aos jornalistas, o Secretário-geral da CES alertou para os perigos inerentes ao crescimento de correntes populistas no continente europeu e defendeu a criação de uma Autoridade Europeia para o Trabalho, como forma de prevenir abusos e situações de exploração, e a aplicação da diretiva europeia para o estabelecimento de direitos mínimos em empregos precários.

Esta posição foi também reforçada pelo líder da UGT que se manifestou apreensivo com o crescimento de fenómenos de racismo, xenofobia e populismo na Europa.

"Esta onda de xenofobia e de populismo que tem aparecido na Europa também é em parte responsabilidade de governos de centro-esquerda e sociais-democratas quando estiveram no poder, porque as expectativas geradas não foram devidamente correspondidas. Depois de políticas de austeridade tremendas, temos hoje vários altos quadros das União Europeia a pedirem desculpa a Portugal", observou Carlos Silva.

Tal como o líder da CES, Carlos Silva afirmou ter apelado também a António Costa para que ajude a colocar no centro da agenda europeia as questões do pilar europeu dos direitos sociais, a par do combate à xenofobia e ao racismo.

Neste encontro que demorou cerca de uma hora estiveram também presente o Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Viera da Silva, e o Secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos.

Ver fotos (Flickr)

FESAP vai à COFMA falar do Orçamento para a Administração Pública

2018-11-07
FESAP vai à COFMA falar do Orçamento para a Administração Pública

Uma delegação da FESAP, liderada pelo Secretário-geral, José Abraão, será recebida pela Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa (COFMA) do Parlamento esta quinta-feira, 8 de novembro, pelas 14h30m, tendo em vista a exposição da sua perspetiva do Orçamento do Estado para 2019 no que à Administração Pública diz respeito.

Após este encontro, os representantes da FESAP estarão disponíveis para prestar todos os esclarecimentos que os sr.s jornalistas solicitem.

Sindicatos desconvocam Greve no Metropolitano de Lisboa

2018-11-05
Sindicatos desconvocam Greve no Metropolitano de Lisboa

Numa reunião efetuada ontem entre o CA do Metropolitano e os Sindicatos a Empresa apresentou uma proposta para acordo que foi hoje apresentada em Plenário de Trabalhadores (ver comunicado em anexo).

No referido Plenário esta proposta mereceu o acordo dos trabalhadores do Metropolitano o que levou à desconvocação das greves agendadas para amanha dia 6 e para dia 8.

Greve na IP com forte adesão

2018-10-31
Greve na IP com forte adesão

A greve dos trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP) está a ter um forte impacto na circulação ferroviária esta manhã, tendo também paralisado a circulação rodoviária.

Esta paralisação convocada pelo SINAFE (Sindicato Nacional dos Ferroviários do Movimento e Afins) e pelo SINTAP (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos) , ambos filiados na UGT, e mais 14 estruturas sindicais têm como principal reivindicação o desbloqueamento do processo negocial em torno do novo acordo colectivo.

A reunião de ontem entre os sindicatos e o Governo terminou sem acordo, pelo que as estruturas sindicais mantiveram a greve na IP-Infraestruturas de Portugal, IP-Telecom, IP-Engenharia e IP-Património.

Segundo os sindicatos, foi apresentada uma nova proposta que:

-Atualiza o subsídio de refeição em 0,54€ para a maioria dos trabalhadores, ou seja, passou o valor para 7,5€;

- Passa o subsídio de escala para 19%, em vez dos 18,5% anteriormente propostos.

Tal proposta, não abrange todos os trabalhadores, poi foi assumido pelo governo/administração que ficam de fora do acordo cerca de 400 dos QPTs – Quadros de Pessoal Transitório - (trabalhadores oriundos da Função Pública)

Tendo em conta que as reivindicações dos trabalhadores são a da valorização dos salários para 2019, a valorização das carreiras profissionais e o alargamento dos direitos coletivos a todos os trabalhadores, a proposta do governo/administração foi insuficiente.