UGT - Comunicados

Notícias

2017

Greve Professores: Carlos Silva na Edição da Noite da SIC Notícias

2017-11-15
Greve Professores: Carlos Silva na Edição da Noite da SIC Notícias

O Secretário-geral da UGT foi convidado pela SIC Notícias para estar na Edição da Noite e comentar o protesto dos professores marcado para quarta-feira.

O líder da UGT reafirmou que a central sindical privilegia “a paz social e a estabilidade governativa”, contudo existe matérias no Orçamento do Estado para 2018 pelas quais a UGT não pode deixar de lutar.

O Orçamento do Estado mantém a continuidade na reversão de medidas do tempo de austeridade, “mas a questão dos professores é muito particular e merece da nossa parte um grito de revolta”, acrescentou Carlos Silva.

Greve e Concentração em Lisboa - 15 NOV 2017

2017-11-13
Greve e Concentração em Lisboa - 15 NOV 2017

Pelo reconhecimento do direito ao descongelamento universal da carreira docente, a partir de 1 de janeiro de 2018; 

Pelo reconhecimento do direito à recuperação de todo o tempo de serviço congelado, incluindo todas as perdas de tempo de serviço efetivamente prestado e acumuladas nos processos de transição de carreira;

Pela determinação de processos negociais que conduzam à determinação de novos enquadramentos de carreira e aposentação que valorizem estes profissionais.

III Congresso UGT-Coimbra elege novo presidente - Jacinto Santos

2017-11-13
III Congresso UGT-Coimbra elege novo presidente - Jacinto Santos

Realizou-se, no passado sábado, dia 11 de novembro o III Congresso da UGT Coimbra, no qual Jacinto Santos, do SINTAP, foi eleito presidente, sucedendo a Gonçalo Mendes. Com este congresso os sindicatos elegem os novos órgãos estatutários e aprovam o novo programa de acção a desenvolver no próximo quadriénio 2017/20121, no sentido de desenvolverem una nova dinâmica de intervenção sindical na região.

Veja abaixo os novos órgãos sociais eleitos na UGT-Coimbra:

 

SECRETARIADO                                                              

SINTAP     José Ribeiro Jacinto dos Santos- PRESIDENTE                                          

SPZC – Maria de Fátima Abreu de Carvalho                                      

SBC – Fernando Miguel Gonçalves Pereira

SINDEL – Áurea Cristiana Martins Bastos                                           

FNE – Mário Jorge Costa da Silva

SINDEP – Paulo Manuel Mascarenhas Dias

SOJ – Pedro Manuel Fernandes Viseu

                               

MESA DO CONGRESSO E DO CONSELHO GERAL                                                 

Presidente – Vítor Manuel Monteiro Travassos (SPZC)                        

V. Presidente – Nuno Alexandre Dinis Martins Carvalho (SBC)

V. Presidente – Elisabete Abrantes Soares Almeida (SINDITE)                                  

Secretária – Maria Paula Conceição Marques (SINDEL)

Secretária – Libânia Maria Jorge da Conceição (FNE)

                                                                                       

CONSELHO FISCALIZADOR DE CONTAS                                                               

Presidente – Maria José Antunes Correia (SBC)                              

V. Presidente – João Manuel Góis Ramalho (FNE)                                            

Secretário – João Carlos Simões Faria (SINDEL)                                     

Ver fotos (Flickr)

Greve Professores: UGT acusa Governo de falta de diálogo

2017-11-11
Greve Professores: UGT acusa Governo de falta de diálogo

À margem dos trabalhos do III Congresso da UGT- Coimbra, que elegeu Jacinto Santos, como novo presidente da União, o Secretário-geral Carlos Silva prometeu “uma guerra sem tréguas” se o Governo não aceitar o diálogo com os sindicatos sobre a questão dos professores.

O Secretário-geral não pede a queda do Governo, nem do Ministro da Educação. Carlos Silva exige uma porta aberta ao diálogo que se tem mantido fechada também a outros sindicatos.

“A UGT não aceita que qualquer Governo, socialista, social-democrata ou outro qualquer feche a porta a um pedido da central para se reunir", afirmou o líder da UGT. “Não reunir, não discutir com os sindicatos é pôr em causa o diálogo social, é pôr em causa a diplomacia sindical”, acrescentou.

Para Carlos Silva, a atitude do Governo está a unir as duas centrais sindicais (UGT e CGTP-IN), numa convergência sindical que juntará os secretários-gerais das duas confederações sindicais na greve nacional agendada para a próxima quarta-feira (dia 15).

“O Governo tem de se sentar connosco, não pode voltar as costas. Porque senão, vai ter uma guerra sem tréguas, na rua, no trabalho, nas empresas”, declarou Carlos Silva.

Ainda na sua intervenção, o líder da UGT defendeu o aumento dos salários dos trabalhadores portugueses para níveis europeus, dentro das possibilidades nacionais.

“Nós subscrevemos a necessidade de se aumentar o salário mínimo nacional” disse o líder sindical que destacou o papel da UGT no despoletar do processo de aumento em 2014 e 2015. Para Carlos Silva “se houver condições orçamentais, o aumento do decretado pelo Governo para 2018 deve ir “mais além” dos 580 euros”.

O Secretário-geral defendeu que “as empresas também têm de fazer um esforço para acomodar os aumentos salariais para lhes dar um patamar de salário de dignidade, que, em Portugal, está perto da mediana”. Afirmou ainda que a culpa de existir em Portugal um salário mediano próximo do salário mínimo é dos empresários, que “não permitem que a negociação colectiva evolua e que o salário mínimo empurre os salários médios”.

Veja no link abaixo as declarações do Secretário-geral na SIC Noticias

Ver link

Secretários-gerais da FNE e UGT apelam à retoma do diálogo na Educação

2017-11-10
Secretários-gerais da FNE e UGT apelam à retoma do diálogo na Educação

Os Secretários-gerais da FNE e UGT lançam apelo ao Governo para corrigir as injustiças apresentadas no Orçamento do Estado para 2018, relativas às carreiras dos professores portugueses.

É necessário retomar o diálogo social no sector da Educação.