UGT - Comunicados

Notícias

2020

O.E. - UGT apresenta as suas preocupações ao LIVRE

2020-01-13
O.E. - UGT apresenta as suas preocupações ao LIVRE

A UGT foi recebida esta segunda-feira (13 de Janeiro), na Assembleia da República pela deputada do Livre, Joacine Katar Moreira, para uma reunião onde foram abordadas as questões do Orçamento do Estado para 2020, tendo sido discutidas posições comuns na área social, que poderão ser melhoradas em sede de apreciação na especialidade.

A UGT fez-se representar neste encontro pelos Secretários-gerais Adjuntos, Sérgio Monte, Paula Bernardo e José Cordeiro, e pelo Secretário Executivo, Luís Costa.

O.E. 2020 - UGT apresenta as suas preocupações ao CHEGA

2020-01-10
O.E. 2020 - UGT apresenta as suas preocupações ao CHEGA

No dia em que a Assembleia da República aprovou, na generalidade, a proposta do Governo para o Orçamento do Estado de 2020, a UGT foi recebida pelo Chega, a quem apresentou algumas propostas nas áreas sociais, as quais mereceram a concordância dos representantes do partido que pediram o apoio da UGT na fase de discussão na especialidade.

Segundo o Secretário-geral Adjunto da UGT, Sérgio Monte, a delegação da central reafirmou a necessidade de serem revistos os escalões e as taxas de IRS, de serem melhorados os salários dos portugueses e os seus rendimentos em geral.

"Deixámos ao Chega a nossa posição sobre o OE2020 e verificámos que estamos de acordo em relação a algumas matérias e outras não, mas vamos certamente voltar a conversar na fase de discussão na especialidade", afirmou o dirigente sindical.

O Secretário-geral Adjunto da UGT referiu os aumentos salariais da função pública como exemplo de uma matéria que é preciso alterar na proposta do Governo.

Newsletter UGT | N.º 8 | Dezembro 2019

2020-01-09
Newsletter UGT | N.º 8 | Dezembro 2019

Leia a última newsletter da UGT do ano de 2019 no link abaixo

Ver link

GP PSD - UGT espera que os partidos acolham as suas propostas

2020-01-09
GP PSD - UGT espera que os partidos acolham as suas propostas

A UGT esteve reunida esta quinta-feira com o GP do PSD, na Assembleia da República, para apresentar, tal como fez com outros grupos parlamentares, as suas preocupações em relação à proposta do Orçamento do Estado para 2020.

Em declarações à UGT TV, no final do encontro, a Presidente da UGT, Lucinda Dâmaso, reafirmou a convicção da central de que este é um “Orçamento do Estado altamente injusto para os trabalhadores, uma vez que socialmente não corresponde a uma melhoria das condições de vida e de trabalho”.

A dirigente espera que na especialidade os vários partidos políticos intervenham e acolham as preocupações da UGT, em relação à melhoria dos salários e dos rendimentos e à alteração dos escalões de IRS.

Por fim, Lucinda Dâmaso, apelou ao primeiro-ministro para que cumpra o que prometeu durante a campanha eleitoral e aumente os rendimentos.

Veja as declarações da Presidente da UGT no vídeo abaixo

GP PS - UGT pede actualização dos salários

2020-01-08
GP PS - UGT pede actualização dos salários

Uma delegação da UGT reuniu, no dia 07 de Janeiro, durante a tarde, na Assembleia da República com o Grupo Parlamentar do Partido Socialista para demonstrar as preocupações sindicais relativas à proposta de Orçamento do Estado para 2020.

No encontro com a líder parlamentar socialista, Ana Catarina Mendes, o Secretário-geral da UGT, Carlos Silva, lembrou que foi o Primeiro-ministro quem colocou os rendimentos como prioridade do Governo.

Carlos Silva espera que na discussão na especialidade do documento, os aumentos dos trabalhadores da Função Pública para 2020 fiquem acima dos 0,3% apresentados pelo Executivo e previsto no Orçamento do Estado deste ano. No final do encontro, o líder sindical afirmou que encontrou na líder parlamentar socialista uma aliada, tendo esta manifestado a vontade de sensibilizar o primeiro-ministro para uma melhoria da proposta de actualização salarial dos funcionários públicos.

Carlos Silva relembrou Ana Catarina Mendes que “foi o primeiro-ministro quem colocou, no discurso da tomada de posse, e na campanha eleitoral, a questão dos rendimentos como prioridade” e que o Governo não pode exigir ao sector privado que atualize vencimentos em 2,7% em 2020, dando aos trabalhadores da função pública 0,3%.

Para o secretário-geral da UGT, o Executivo deveria equacionar dar aumentos mais elevados aos funcionários com salários mais baixos. “Devia olhar para a massa salarial de toda a administração pública e fazer as contas de forma a privilegiar quem ganha menos”, explicou, lembrando que 0,3% corresponde a apenas 1,80€ para quem ganha 635€ por mês.

Além do Secretário-geral, a UGT fez-se representar nesta reunião pela Presidente, Lucinda Dâmaso, e pelos Secretários-gerais Adjuntos, Sérgio Monte, Ana Paula Bernardo e José Cordeiro.