UGT - Comunicados

Notícias

2017

Entrevista do Secretário-geral ao ECO

2017-02-11
Entrevista do Secretário-geral ao ECO

Em entrevista ao jornal digital ECO, o Secretário-geral da UGT voltou a firmar a sua reivindicação para o aumento do salário mínimo. O valor de 580€ acordado entre Governo e Bloco de Esquerda é o patamar mínimo que aceita discutir.

Leia no link abaixo a entrevista na íntegra.

 

Ver link

FNE - Greve dos trabalhadores não docentes ronda os 90%

2017-02-03
FNE - Greve dos trabalhadores não docentes ronda os 90%

A Federação Nacional de Educação (FNE), filiada na UGT avança com uma adesão de 90% dos trabalhadores não docentes à greve de hoje que encerrou escolas de norte a sul do país.

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral da FNE, João Dias da Silva, que estava junto à Escola Secundária do Restelo, em Lisboa, que está fechada, afirmou que as primeiras informações indicam que há escolas encerradas de norte a sul do país, apontando os concelhos de Mafra, Torres Vedras, Bragança, Lisboa, Porto e Gaia.

“Temos informações de várias escolas, em Mafra, em Torres Vedras, em Bragança, em Vila Real, em Lisboa, no Porto, em Gaia, muitas escolas encerradas é a informações de que dispomos. Noutras escolas há níveis fortes de adesão e poderão funcionar com os serviços reduzidos”, afirmou Dias da Silva.

“É provavelmente uma das maiores greves do pessoal não docente”, disse ao PÚBLICO o presidente da Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP), José Abraão, que também esteve nesta manhã na Escola Secundária do Restelo. “Só esperamos que o Governo tire as suas ilações”, acrescentou.

Esta greve  tem na base, entre outras razões, o combate à precariedade entre o pessoal não docente e a criação de carreiras especiais, de modo a valorizar as funções desempenhados por estes funcionários nas escolas.

Mas os sindicatos questionam também os rácios que actualmente determina o cálculo das necessidades de pessoal docente nas escolas, uma vez que este só tem em conta o número de alunos, esquecendo as diferentes tipologias existentes e os vários serviços oferecidos pelas escolas. Os sindicatos afectos à UGT avaliam que para satisfazer as necessidades permanentes nas escolas faltam colocar dois mil funcionários. 

(nota baseda na notícia do Público e em actualização)

VÍDEO: FNE e FESAP fazem balanço da Greve dos Trabalhadores Não Docentes

2017-02-03
VÍDEO: FNE e FESAP fazem balanço da Greve dos Trabalhadores Não Docentes

Os Secretários-gerais da FNE e da FESAP fizeram o balanço da adesão à greve  por parte dos trabalhadores não docentes.

Em declarações aos jornalistas, João Dias da Silva, da FNE, afirmou que centenas de escolas estão encerradas de norte a sul do País. E explicou que esta paralisação é "um sinal muito claro dos trabalhadores não docentes ao Governo no sentido de que têm de ser valorizados, que têm de ser respeitados."

O Secretário-geral da FNE explica que não é o encerramento das escolas que é importante, nem o que as organizações sindicais procuram. "O que nós procuramos é que o Governo sinta a obrigação de ouvir este sinal e que se sente à mesa das negociações para que os problemas que se arrastam há anos e anos, venham a ser corrigidos, para que tenhamos mais qualidade na educação através dos nossos trabalhadores não docentes".

Também José Abraão, da FESAP, afirmou que o sucesso desta greve se deve à "revolta dos trabalhadores, por estes se sentirem cansados e abandonados no que diz respeito aos seus direitos mais essenciais". Acrescentou ainda que esta paralisação também está relacionada " com a necessidade de [o Governo] resolver com as organizações sindicais a questão dos trabalhadores precários."

Veja a Conferência de Imprensa no link abaixo.

(Fonte:RTP)

Ver vídeo (Youtube)

Entrevista ao Secretário-geral da UGT Público/Rádio Renascença

2017-02-02
Entrevista ao Secretário-geral da UGT Público/Rádio Renascença

Convidado pelo Público e a Rádio Renascença para uma entrevista, o líder da UGT não dá como certo um novo aumento do salário mínimo em 2018. Carlos Silva quer também travar a precariedade laboral, mas admite não será possível acabar com essa "chaga".

Estas foram algumas das ideias transmitidas pelo Secretário-geral. Para saber mais clique no link abaixo e leia a entrevista na íntegra.

 

Ver link

Entrevista do Secretário-geral ao Observador

2017-02-02
Entrevista do Secretário-geral ao Observador

«O assunto central da entrevista, o chumbo parlamentar da redução da Taxa Social Única (TSU) para as empresas para compensar os patrões pelo aumento do salário mínimo, suscita a Carlos Silva um comentário em forma de aviso: “Agora, [os parceiros de esquerda] também têm que tomar atenção — e eu julgo que foi um sinal dado pelo próprio PS e pelo Governo: se a esquerda esticar demasiado a corda, a corda pode rebentar. […] Se não quiser contribuir para uma crise, a esquerda terá de perceber que não pode estar constantemente a criar engulhos à governação”.

Leia a entrevista no link abaixo

Ver link