UGT - Comunicados

Notícias

2019

SITEMAQ avança para Greve na SOFLUSA

2019-06-05
SITEMAQ avança para Greve na SOFLUSA

O Sindicato da Mestrança e Marinhagem da Marinha Mercante, Energia e Fogueiros de Terra (SITEMAQ), afecto à UGT avançou com um pré-aviso de greve para o dia 12 de junho, de duas horas por turno.

Em declarações à Lusa, o Secretário-geral do SITEMAQ, Alexandre Delgado, afirmou que o objectivo desta greve é lutar por uma "harmonia salarial" na empresa, considerando que esta foi posta em causa com o aumento dado aos mestres.

"Temos consciência plena de que os utentes estão a ser muito penalizados e estamos disponíveis para negociar até à exaustão, mas não podemos ser marginalizados. Esta situação é responsabilidade de quem só pensou numa categoria e rompeu com o que estava acordado", salientou.

Alexandre Delgado acrescentou que a greve vai continuar depois do dia 12 de junho por tempo indeterminado, todas as terças e quintas-feiras, duas horas por turno, até que a situação seja resolvida.

(Fonte: Lusa)

Newsletter UGT | N.º 1 | Maio 2019

2019-06-05
Newsletter UGT | N.º 1 | Maio 2019

Leia a primeira edição da newsletter da UGT no link abaixo.

 

 

 

Ver link

SOJ em greve parcial até Outubro

2019-06-05
SOJ em greve parcial até Outubro

Os Oficiais de Justiça começaram hoje uma greve parcial que vai prolongar-se até Outubro. Os trabalhadores vão parar 4 vezes por dia durante períodos de 20 minutos até uma hora. Exigem melhores salários, o descongelamento de carreiras e reclamam o pagamento de horas extra.

O Presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça, Carlos Almeida, explica os motivos desta greve.

 

Campanha "Não Desistimos" - Professores exigem reconhecimento dos docentes

2019-06-04
Campanha "Não Desistimos" - Professores exigem reconhecimento dos docentes

A Federação Nacional da Educação (FNE) iniciou hoje uma nova campanha que consiste na colocação de faixas em centenas de escolas por todo o país, alusivas à recuperação dos 9 anos, 4 meses e 2 dias de tempo de serviço congelado, mostrando assim ao Governo e particularmente ao Ministério da Educação que os professores e educadores portugueses vão continuar a lutar por aquilo que é seu por lei e por justiça.

Escolas do Porto, Coimbra, Lisboa e Évora vão ser as primeiras a receber esta campanha que neste primeiro dia vai contar com a presença dos Presidentes dos Sindicatos da FNE, ligados a cada zona.

A mensagem contida nesta iniciativa regista que a FNE e os seus Sindicatos mantêm-se mobilizados no propósito de garantirem a concretização do objetivo '942' demonstrando que, apesar da recuperação imposta pelo governo de 2 anos, 9 meses e 18 dias, a FNE não desmobiliza.

Esta faixa é clara quanto à mensagem que se quer transmitir aos Educadores e Professores Portugueses e à Sociedade, e essa mensagem é a de que não se desiste, em nome da dignidade profissional, dos alunos e da Educação.

Esta campanha vai decorrer ao longo de todo o mês de junho e no seu decurso os dirigentes e ativistas dos Sindicatos que integram a FNE vão colocar estas faixas em centenas de escolas por todo o país.

Esta é uma forma de a FNE continuar a afirmar que a consideração da totalidade do tempo congelado corresponde à exigência do reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos Docentes portugueses e desta forma combater a intoxicação de desinformação que persiste contra um direito legítimo dos professores, já que a sociedade foi invadida por informação veiculada por muita gente, nomeadamente pelo Ministério da Educação, que não disse a verdade relativamente àquilo que é o impacto da recuperação do tempo de serviço e as razões que justificam este direito.

O SPZC (na foto), um dos sindicatos da FNE, deu um sinal claro na região centro de que a luta dos professores pela recuperação de todo o tempo de serviço congelado não vai parar.  A campanha consiste na colocação de uma faixa no exterior de todas as escolas da zona centro dando um aviso claro que a luta dos professores por aquilo a que têm direito não terminou. E, deixa um aviso claro. O Governo que sair das próximas eleições terá que lidar de novo com esta matéria na agenda sindical.  

 

UGT de Vila Real continua a apostar na descentralização da sua atividade

2019-06-04
UGT de Vila Real continua a apostar na descentralização da sua atividade

A UGT de Vila Real e a Câmara Municipal de Peso da Régua celebraram um protocolo para assegurar aos funcionários e aos munícipes do Peso da Régua o acesso a formação profissional, em parceria com o Centro de Formação e Aperfeiçoamento Profissional – CEFOSAP. A contínua aposta na descentralização da atividade sindical desta União Geral de Trabalhadores tem permitido aproximar todos os agentes do mercado de trabalho, com o intuito de que juntos possamos encontrar soluções que invertam a desertificação do Interior através da aposta na força do fator trabalho.

O desenvolvimento do Interior e o aumento de competências por parte dos trabalhadores têm sido preocupações constantes de Nataniel Araújo, Presidente da UGT de Vila Real, para quem “uma aposta clara na formação contribuirá decisivamente para termos melhores trabalhadores e melhores empresas. O desenvolvimento do Interior depende muito da qualificação, da aquisição de competências por parte dos trabalhadores em diversas áreas e muito em breve serão anunciados outros concelhos para onde a descentralização em curso será dirigida”.

A UGT-Vila Real agradece ao seu novo parceiro, o Município do Peso da Régua, a confiança demonstrada com a celebração deste protocolo de cooperação, no qual serão os munícipes e, fundamentalmente, os trabalhadores os principais usufrutuários desta sinergia agora iniciada.