UGT - Comunicados

Notícias

2018

UGT reuniu com missão da OCDE

2018-07-04
UGT reuniu com missão da OCDE

A UGT recebeu hoje na sua sede uma delegação da OCDE. 

A delegação de UGT, liderada pelos Secretários Gerais Adjuntos, Sérgio Monte e Paula Bernardo, contou ainda com a presença dos Secretários Executivos, Catarina Tavares, Carlos Alves e José Cordeiro.

A UGT aproveitou para salientar a importância da melhoria generalizada dos salários em Portugal, tendo em conta as melhorias macoreconómicas sentidas no pais.

Também a promoção da estabilidade no emprego, com as alterações à legislação laboral, vertidas no acordo de Concertação Social assinado recentemente, mereceram uma abordagem positiva, apelando-se aínda que o combate à precariedade e a melhoria das condições de trabalho devem continuar em cima da mesa.

 

Secretário-geral da UGT entrevistado por Maria Flor Pedroso

2018-06-30
Secretário-geral da UGT entrevistado por Maria Flor Pedroso

O Secretário-geral da UGT foi o convidado da jornalista Maria Flor Pedroso, numa entrevista alargada que abordou os temas do salário mínimo, do acordo de concertação social e as possíveis alterações que poderão ocorrer em sede de discussão parlamentar.

Carlos Silva, a uma semana do Parlamento discutir as propostas de alteração à legislação laboral, diz não se opor à criação de uma norma travão,conforme é proposto pelo PS, para que o período de experiência alargado a 6 meses não se transforme em precariedade de facto.

Sobre o salário mínimo poder ser superior a 600 euros, como António Saraiva sugeriu em entrevista ao Conversa Capital na semana passada, Carlos Silva saúda a predisposição do presidente da CIP e, simultaneamente, estranha a crítica da Confederação dos Agricultores. .

Oiça a entrevista na íntegra no link abaixo

UGT promove debate "Em defesa do Serviço Nacional de Saúde"

2018-06-30
UGT promove debate "Em defesa do Serviço Nacional de Saúde"

A UGT, em parceria com o SINDITE, a Associação Portuguesa de Bioética, a Faculdade de Medicina do Porto e a UNESCO Chair in Bioethics, realizaram este sábado uma conferência no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC) sobre o tema “Em defesa do Serviço Nacional de Saúde”.

Um leque variado de convidados e elevado prestígio, entre os quais os antigos ministros da Saúde, Maria de Belém Roseira e Paulo Mendo, reuniram-se para um debate alargado sobre a nova Lei de Bases da Saúde e as perspectivas de futuro para o Sistema Nacional de Saúde.

A sessão de abertura contou com as intervenções do Secretário-geral da UGT, Carlos Silva, o Presidente do SINDITE, Edgar Loureiro, o Presidente do Presidente do Research Department of the International Network of the UNESCO Chair in Bioethics, Rui Nunes, o Bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, o Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, Fernando Regateiro e o Presidente do Conselho Nacional de Saúde, Jorge Simões.

Ver fotos (Flickr)

TSDT’s em Greve por tempo indeterminado ao trabalho extraordinário e banco/bolsa de horas

2018-06-29
TSDT’s em Greve por tempo indeterminado ao trabalho extraordinário e banco/bolsa de horas

As estruturas sindicais representativas dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica (TSDT’s) concluíram no passado dia 22 de Julho mais um dia de luta. Realizaram um dia de greve com índices de adesão elevados a nível nacional, com serviços a paralisarem a 100%, demonstrando o descontentamento que atravessa toda classe profissional dos TSDT’s.

Nesse dia, realizaram uma concentração em frente ao Parlamento e depois deslocaram-se em desfile até à residência oficial do Primeiro-Ministro, onde ficaram em vigília. Esta jornada de luta, terminou com a entrega de um Manifesto ao Primeiro-Ministro, com mais de 10.000 assinaturas, que os TSDT’s recolheram a nível Nacional, e que pretendeu reforçar as suas reivindicações junto do Governo.

Com esta jornada de luta os TSDT’s demonstraram que não aceitam a injustiça que o Executivo pretende praticar e perpetuar na revisão da carreira dos TSDT’s, dado o Governo pretender implementar uma tabela salarial que não tem paridade com outras já existentes na Administração Pública, aplicar uma transição em que 97% dos TSDT’s vão para a base da carreira e, para agravar mais as desigualdades, não transitam com o tempo de serviço que têm na atual categoria.

São estes e outros motivos, que estão de novo elencados no aviso-prévio de greve que já emitido, e que decreta greve a partir do dia 1 de Julho de 2018 e por tempo indeterminado ao trabalho prestado para além do período normal de trabalho (PNT).

Pretende-se com esta greve, alertar o Governo e as Instituições para a necessidade de contratação imediata de mais TSDT’s, para evitar a rotura que se prevê que ocorra com a passagem de um grande número de colegas do regime de 40 para as 35 horas e que não pode ser colmatada com o agravamento de prestação de mais horas de trabalho para além do PNT diário ou semanal, que os trabalhadores estão contratualmente obrigados a prestar.

A UGT representa os TSDT's através do SINDITE (Sindicato dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica) e do SINTAP (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos).

 

EXIGIMOS A CONTRATAÇÃO DE MAIS TSDT’S

EXIGIMOS A RETOMA DAS NEGOCIAÇÕES

QUEREMOS PARIDADE COM OUTRAS CARREIRAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!

 

Leia na íntegra o comunicado conjunto das organizações sindicais

SOJ - Greve Nacional na Justiça

2018-06-29
SOJ - Greve Nacional na Justiça

Os oficiais de justiça e os funcionários judiciais iniciam hoje uma greve de três dias.

A UGT solidariza-se com a luta do seu sindicato, o SOJ (Sindicato dos Oficiais de Justiça), que nas suas reivinidcações exigem respostas por parte do Executivo, no sentido de garantir a realização de processos negociais, nomeadamente quanto à contagem do tempo de congelamento de carreiras, o regime de aposentação e a revisão estatutária.


O Presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça (SOJ), Carlos Almeida, explicou no Bom Dia Portugal, os motivos da greve.

(Fonte: RTP)