UGT - Comunicados

Notícias

2017

UGT parou para um minuto de silêncio pelas vítimas dos incêndios

2017-06-21
UGT parou para um minuto de silêncio pelas vítimas dos incêndios

À hora marcada, pelas 13h00, os trabalhadores da UGT e de todas as organizações suas associadas (CEFOSAP, MODERP e UGC) uniram-se num minuto de silêncio em memória das vítimas dos incêndios de Pedrogão Grande, Castanheira de Pêra e Figueiró dos Vinhos

Veja as fotos no link abaixo.

Ver fotos (Flickr)

SMAV - Alguns trabalhadores da RTP correm em pista própria

2017-06-21
SMAV - Alguns trabalhadores da RTP correm em pista própria

A difícil concertação de posições entre os vários sindicatos e a difícil gestão no que
concerne a uma agenda politica, leva o SMAV a seguir em frente com os seus objetivos: manter a contratação coletiva na RTP, procurando a via do diálogo e representar os seus associados no que eles consideram o melhor para as suas carreiras profissionais.

O SMAV entende ser urgente a conclusão da negociação das carreiras, antevendo um mais célere processo na reclassificação profissional de trabalhadores abrangidos pelo Acordo de Empresa.

Aproveitamos para enaltecer o profissionalismo e a resistência dos trabalhadores da RTP, agradecendo todo o empenho no cumprimento da Missão Pública de Rádio e Televisão, não deixando transparecer para o telespetador, para o ouvinte e para as entidades externas, a precaridade das condições de trabalho, a falta de investimento nas suas áreas de trabalho, de equipamentos adequados, de competência técnica das empresas de outsoursing; a falta de coordenação, organização, planeamento e de responsabilidade por parte da gestão; a falta de urbanidade e respeito pela execução do trabalho individual e a falta de reenquadramentos ajustados às funções, efetivamente, desempenhadas.

Leia na íntegra o comunicado do SMAV no link abaixo

UGT reúne com missão do FMI

2017-06-19
UGT reúne com missão do FMI

A UGT recebeu esta tarde na sua sede a delegação do FMI, liderada pelo chefe de missão, Subir Lall, no âmbito do processo de acompanhamento e monitorização da economia nacional.

Nesta reunião técnica a UGT fez-se representar pelo Secretário-geral Adjunto. Sérgio Monte, pela Secretária Internacional, Catarina Tavares, e os Secretários Executivos, Carlos Alves e Bruno Teixeira.

A UGT manifestou mais uma vez as suas preocupações perante aquilo que lhe parece continuar a ser o caminho que o FMI pretende que Portugal percorra, ou seja, o da austeridade, da primazia da competitividade à custa do valor trabalho, dos baixos salários e do bem- estar das pessoas, com claro desinvestimento no Estado Social.

Manifestamos as nossas preocupações numa contínua tendência do FMI em expressar, por exemplo em 2016, dúvidas quanto ao processo de consolidação orçamental, na defesa de mais desregulação laboral ou maior controlo das despesas com as pensões, numa altura em que já sentiam os efeitos positivos de um novo quadro político que introduziu uma componente social.

Em relação ao salário mínimo, a UGT voltou a acentuar as suas críticas relativamente a uma postura do FMI que continua a afastar o papel do salário mínimo e, ainda, a ignorar os estudos de impacto dos aumentos do salário mínimo em Portugal que apontam para impactos residuais em termos de emprego/desemprego.

 

fmi

UGT de luto pelas vítimas dos incêndios

2017-06-18
UGT de luto pelas vítimas dos incêndios

A UGT expressa a sua profunda dor pela terrivel tragédia que atinge Portugal, em especial às populações afetadas pelos incêndios que deflagraram em Pedrogão Grande e que atingiram vários concelhos circundantes.

A UGT, neste momento de consternação, transmite às familias das vítimas as suas mais profundas e sentidas condolências.

Os nossos pensamentos estão com as vítimas desta tragédia, mas também com as diversas corporações de bombeiros que com bravura e coragem tentam tudo por tudo para salvar as vidas e os bens das populações afetadas.

Mensagem do Secretário Geral da UGT

2017-06-18
Mensagem do Secretário Geral da UGT

Incêndios de Figueiró dos Vinhos

 

A todos os contactos institucionais, pessoais, quer de dirigentes da UGT e de outros sindicatos, quer de parceiros sociais e de partidos políticos, na impossibilidade de responder a todas as mensagens e a todos os telefonemas efetuados, venho agradecer, em meu nome pessoal e no de todos os cidadãos de Figueiró dos Vinhos, Pedrogão Grande e Castanheira de Pera, a solidariedade demonstrada, bem como toda a disponibilidade que me foi transmitida nesta hora de tragédia e drama.

 

Transmitirei aos Srs. Presidentes das Câmaras Municipais dos concelhos atrás referidos, as manifestações de pesar que recebi.

 

Um bem haja a todos.

 

O Secretário Geral da UGT,

Carlos Silva