UGT - Comunicados

Notícias

2021

UGT exige Melhores Salários. Melhores Rendimentos e Menos Desigualdades

2021-09-16
UGT exige Melhores Salários. Melhores Rendimentos e Menos Desigualdades

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, defendeu, esta quarta-feira, que o Governo socialista tem obrigação de aumentar os salários e propôs que o salário mínimo nacional (SMN) suba para os 1.000 euros até 2028.

A UGT aprovou, esta quinta-feira, em Secretariado Nacional, a política reivindicativa para 2022, onde defende que o salário mínimo (SMN) deveria subir para os 715 euros no próximo ano e para 1000€ até 2028.

Em conferência de imprensa, o Secretário-geral fundamentou as propostas apresentadas para o aumento da retribuição mínima com a entrada de “cerca de 49 mil milhões de euros em fundos estruturais”, nos próximos anos. 

O secretário-geral da UGT defendeu a necessidade de acabar com a política de baixos salários e precariedade e sublinhou que o Governo tem de dar o exemplo, aumentando os salários dos trabalhadores da administração pública, que tiveram o último aumento em 2009.

“Este é um Governo socialista, que conta com o apoio da esquerda no parlamento, tem o dever social de fazer subir os salários”, disse o líder da UGT, acrescentando que este é o compromisso de António Costa, que assumiu no congresso socialista de Portimão que “chega de baixos salários”.

Com o bloqueamento da negociação coletiva, e o travão verificado na valorização das remunerações dos portugueses, Carlos Silva defende que a subida do SMN poderá ser uma via para alavancar os demais salários. Na conversa com os jornalistas, o dirigente sindical frisou que o aumento de 50€ reivindicado para a retribuição mínima, deveria ser aplicado a todos os trabalhadores em 2022.

O documento aprovado por unanimidade pelo Secretariado Nacional da UGT reclama também que os aumentos salariais a negociar na contratação coletiva devem situar-se entre os 2% e os 4%, nunca ficando abaixo dos 50 euros por trabalhador.

Além da valorização geral dos salários, no documento é também reivindicado o desagravamento fiscal, o alargamento da proteção social, o combate às desigualdades e melhores condições para a promoção da conciliação da vida profissional com a vida pessoal.

No seu caderno reivindicativo, a UGT aborda ainda o capítulo da proteção social, apelando ao seu reforço e alargamento. A central sindical defende a revisão da fórmula de atualização das pensões e da regra de atualização do Indexante dos Apoios Sociais (IAS). Defende ainda, o fim do fator de sustentabilidade, a melhoria da proteção no desemprego, a agilização do reconhecimento do estatuto de cuidador informal e o início da discussão sobre as profissões de desgaste rápido ou de elevada penosidade.

Numa altura em que decorrem as negociações para o próximo Orçamento do Estado, a UGT enviou a sua proposta de política reivindicativa aos partidos e aos grupos parlamentares e vai apresentá-la ao Governo em sede de concertação social.

Leia AQUI a Política Reivindicativa da UGT para 2022

 

Sindicatos bancários portugueses articulam estratégias de luta com congéneres espanhóis

2021-09-15
Sindicatos bancários portugueses articulam estratégias de luta com congéneres espanhóis

Os três sindicatos bancários portugueses (Mais Sindicato, SBN e SBC), filiados na UGT, reuniram esta quarta-feira com representantes da UGT-Espanha, para uma articulação de estratégias para fazer face à actual situação de centenas de trabalhadores bancários alvo de repressão laboral e chantagem por parte do Millennium BCP e o Santander Totta, para aceitar rescisões e reformas antecipadas.

Recordamos que esta reunião vem na sequência da deslocação do Secretário-geral da UGT, Carlos Silva, a Madrid, no passado mês de Agosto, para Cimeira Ibérica e durante a qual teve oportunidade de reunir com os responsáveis da Federação Sindical da Banca, Comércio e Serviços de Espanha e representantes sindicais do Banco Santander em Espanha. Nesse encontro os congéneres espanhóis demonstraram total solidariedade para com a luta dos bancários portugueses e manifestaram disponibilidade para a participação em eventuais lutas determinadas pelos sindicatos portugueses.

Os sindicatos têm recorridos às mais variadas formas para travar esta situação, desde reuniões com o poder político, nomeadamente o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, grupos parlamentares e governantes, até ao envio de missivas aos órgãos executivos do Santander e queixas junto de organismos internacionais, como o Banco Central Europeu e a Comissão Europeia.

Jorge Sampaio | "Nunca o esqueceremos. Por tudo o que fez pelos Portugueses, OBRIGADO."

2021-09-10
Jorge Sampaio | "Nunca o esqueceremos. Por tudo o que fez pelos Portugueses, OBRIGADO."

Uma figura incontornável da democracia, da luta pela Liberdade, do civismo, da ética e da cidadania, da tolerância e do humanismo. 

Faltam palavras para acrescentar ao que a UGT - central sindical e parceiro social - poderá escrever. Até sempre Presidente. 

Portugal tem um lugar para si no seu enorme coração com 900 anos de História. 

Não o esqueceremos. Por tudo o que fez pelos Portugueses, OBRIGADO.

UGT na apresentação do grupo Leading Politics

2021-09-09
UGT na apresentação do grupo Leading Politics

A Secretária Executiva da UGT, Vanda Cruz, participou, no passado dia 7 de Setembro,  na primeira reunião do grupo Leading Politics, um projecto da Leadership Summit Portugal, constituído em 2017, e que tem como objectivo trazer o conhecimento e a reflexão ideológica para o mundo das organizações públicas e privadas.

A dirigente sindical representou a UGT, em nome do Secretário-geral, numa plataforma de debate constituída por figuras políticas dos vários quadrantes ideológicos, professores, comentadores e jornalistas, com o objetivo de partilha de ideias para a produção de conhecimento relevante para as lideranças atuais e futuras.

A constituição do grupo deste grupo de conselheiros acontece a poucas semanas da próxima edição da Leadership Summit Portugal, uma iniciativa independente e apartidária, promovida pela Tema Central e pelos Global Shapers do Fórum Económico Mundial (Lisbon Hub) que tem o Alto Patrocínio do Sr. Presidente da República e que se irá realizar a 28 de setembro no Casino do Estoril.

Despedimentos na Banca | UGT envia carta aos líderes sindicais internacionais

2021-09-08
Despedimentos na Banca | UGT envia carta aos líderes sindicais internacionais

A UGT envio esta quarta-feira uma carta aos principais líderes sindicais internacionais solicitando o apoio à luta dos trabalhadores bancários portugueses.

Leia a carta na íntegra no link abaixo