UGT - Comunicados

Notícias

2020

A UGT E A NOMEAÇÃO DO PROCURADOR JOSÉ GUERRA

2020-12-31
A UGT E A NOMEAÇÃO DO PROCURADOR JOSÉ GUERRA

É com profunda estranheza e repugnância que a UGT tem vindo a acompanhar as notícias de vários órgãos de comunicação social, sobre a nomeação do procurador José Guerra para o cargo de procurador europeu.

Estranheza pelo facto de a alegada carta enviada às instâncias comunitárias, a defender a nomeação deste magistrado, pelo Governo português, inclua no seu currículo a sua participação no Processo UGT, vislumbrando-se que tal referência nem sequer corresponde à verdade histórica do processo.

Repugnância pelo facto de, pelo menos na RTP, o processo UGT ser referido pela jornalista responsável pela peça como “(...) o caso UGT, um dos maiores casos de fraude de fundos comunitários de que há memória”.

Que a UGT saiba, o processo judicial que envolveu a central, decorreu durante 15 anos, terminando com a absolvição, completa e por unanimidade, do tribunal que procedeu à leitura da sentença. Acresce ainda que o próprio Ministério Público decidiu não recorrer da sentença judicial.

Afinal o que quer a RTP?

Quer criar um novo incidente judicial?

Quer reabrir o processo?

A RTP é agora um tribunal?

Ou considera a RTP que em democracia tudo é permitido a quem informa?

No caso da RTP em particular, que recebe dinheiro dos contribuintes, deveria a notícia ser elaborada com critérios de verdade e isenção, o que não aconteceu, pelo que nos repugna este tipo de informação, sobretudo vinda do serviço público de televisão.

Ao Governo cabe nomear quem lhe aprouver, mas sobretudo não vislumbramos a necessidade, para efeitos curriculares, da referência ao que aconteceu num processo judicial, cujo epílogo terminou numa completa absolvição.

É caso para perguntar ao Governo, o que quer da UGT?

O Secretário-Geral da UGT

Carlos Silva