UGT - Comunicados

Notícias

2019

UGT congratula-se com a consagração do dia 17 de Junho como Dia Nacional em Memória das Vítimas dos Incêndios Florestais

2019-06-07
UGT congratula-se com a consagração do dia 17 de Junho como Dia Nacional em Memória das Vítimas dos Incêndios Florestais

A UGT congratula-se com a aprovação por unanimidade por parte da Assembleia da República de uma resolução que consagra o dia 17 de Junho como o Dia Nacional em Memória das Vítimas dos Incêndios Florestais.

Esta resolução, que acolheu o apelo da Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande, pretende “evocar os homens, as mulheres e as crianças que perderam a vida em 2017, mas, igualmente, todos quantos, ao longo da história, sucumbiram ao flagelo dos incêndios florestais em Portugal" e "para lembrar que uma tragédia como aquela que se verificou em 2017 não mais se poderá repetir".

O texto aprovado pelos deputados e deputadas lembra que "o dia 17 de junho de 2017 ficará na história como o dia em que deflagrou aquele que foi o incêndio florestal mais mortífero de sempre em Portugal, lavrando por mais de uma semana no território dos concelhos de Pedrogão Grande, Castanheira de Pera, Ansião, Alvaiázere, Figueiró dos Vinhos, Arganil, Góis, Penela, Pampilhosa da Serra, Oleiros e Sertã".

“A Assembleia da República, órgão de soberania representativo de todas e de todos os Portugueses, foi sensível à inquietação provocada por uma tragédia com esta dimensão, tão brutal e tão cruel”, lê-se no texto da iniciativa do Presidente da Assembleia da República, que recorda também “o elevado número de feridos e expressivos danos patrimoniais”, salientando as cerca de cinco centenas de habitações, um terço das quais primeira habitação, e meia centena de unidades industriais de diversos sectores, “além das avultadas perdas em equipamentos e infra-estruturas diversas”.

“Desde o primeiro momento, o Parlamento procurou criar todas as condições para que os esclarecimentos devidos pudessem ser obtidos de forma empenhada, isenta e credível – nomeadamente com o funcionamento de Comissões Técnicas Independentes, que produziram extenso e apurado trabalho, técnico e especializado, merecedor do mais profundo reconhecimento.”

A iniciativa refere ainda que compete agora ao Parlamento, “criar condições para homenagear as vítimas mortais deste grande incêndio, evocando a sua memória”, terminando com o seguinte:

“A Assembleia da República resolve, nos termos do n.º 5 do artigo 166.º da Constituição da República Portuguesa, consagrar o dia 17 de junho como Dia Nacional em Memória das Vítimas dos Incêndios Florestais.”

Recorde-se que este incêndio deflagrou em Escalos Fundeiros, concelho de Pedrógão Grande, e alastrou depois a municípios vizinhos, nos distritos de Leiria, Coimbra e Castelo Branco, provocou 66 mortos e 253 feridos, sete deles com gravidade, e destruiu cerca de 500 casas, 261 das quais eram habitações permanentes, e 50 empresas.

Aquando deste flagelo, a UGT expressou a suas sentidas condolências às famílias das vítimas, bem como a gratidão pela bravura e coragem das corporações de bombeiros que salvaram as vidas e os bens das pessoas afectadas. Acresce ainda o simbolismo do minuto de silêncio que juntou UGT, as corporações de bombeiros e os presidentes de câmara dos três concelhos, no dia 1 de Maio de 2018, no local onde ocorreu o embate do autotanque dos bombeiros de Castanheira de Pêra e onde foi depositada uma coroa de flores.