UGT - Comissões

Comissões

Ala de Quadros

Conferência Eurocadres lança campanha europeia #EndStress.EU

2019-10-18
Conferência Eurocadres lança campanha europeia #EndStress.EU

A sede da UGT-Portugal acolheu nos dias 17 e 18 de Outubro, uma conferência organizada pelo EUROCADRES, dedicada ao tema do stresse e dos trabalhadores-quadro das empresas.

A Presidente da UGT, Lucinda Dâmaso, esteve na sessão de abertura da assembleia-geral deste organismo, dando as boas-vindas a todos os participantes e destacando no seu discurso os desafios que os quadros das empresas enfrentam, especialmente no sector bancário, onde o trabalho precário ainda é uma realidade que persiste.

Durante a tarde, na conferência, foi dado o pontapé de saída para o lançamento da campanha EndStress.EU, que tem como objectivo pressionar a Comissão Europeia para uma directiva específica sobre riscos psicossociais.

Teve também lugar um painel dedicado a casos práticos de iniciativas desenvolvidas neste âmbito pelas organizações sindicais, ao que a UGT, representada pela Secretária Executiva, Vanda Cruz, responsável pelo departamento de Segurança e Saúde no Trabalho, apresentou todo o trabalho desenvolvido pela organização, com lançamento de campanhas e sessões de esclarecimentos junto dos trabalhadores sobre os riscos psicossociais.

Este painel foi igualmente partilhado pelo perito em matéria de riscos psicossociais no trabalho, Samuel Antunes, que apresentou os resultados do “Estudo de Avaliação de Riscos Psicossociais na Administração Pública Central, Local e Sector Empresarial do Estado” elaborado em parceria com a UGT.

No segundo dia de conferência, no painel dedicado ao tema “Acabar com a epidemia do stresse”, a representante do Eurocadres, Nayla Glaise, destacou como positiva as micro iniciativas ao nível das empresas, com objectivo de melhorar o bem-estar entre trabalhadores, no entanto considera igualmente que estas práticas são insuficientes e será necessário proceder-se a alterações estruturais. A representante portuguesa na Comissão Europeia, Maria Teresa Moitinho, deu destaque à necessidade de implementação de uma verdadeira cultura de prevenção da saúde mental. Para a representante europeia, é importante apoiar as entidades patronais para a implementação de boas avaliações de risco.

José Manuel Fernandes, membro do Parlamento Europeu, enfatizou o custo dos problemas de saúde relacionados com os riscos psicossociais (mais de 600 milhões de euros por ano que traduzem 4 vezes mais o orçamento da U.E.). Assim, e tendo em conta aos custos envolvidos nesta questão reforçou que todas as medidas com vista a reduzir e a combater este flagelo significam poupança, afirmou o representante europeu, acrescentando que este objectivo tem de ser comum a todos os Estados-Membro. Por fim, sugeriu que esta questão fosse integrada nos programas de financiamento da União Europeia. Uma sugestão seguida pelo membro da Confederação do Comércio de Portugal, Marcelino Pena Costa, que deixou a nota de que seria importante a assinatura de um acordo de concertação social que incluísse estas matérias.

No último painel, onde se abordou a necessidade de introduzir a directiva sobre riscos psicossociais na agenda sindical, Ignacio Hernandez, da Confederação Europeia de Sindicatos (CES) revelou algumas das preocupações sindicais que devem estar espelhadas no conteúdo da nova directiva, tais como: o combate à precariedade; o alargamento da definição de risco psicossocial, ou mesmo a expansão das novas tecnologias com o direito a desligar, como premissa fundamental para garantir o bem-estar dos trabalhadores.

O Eurocadres é o Conselho dos Profissionais e Gestores Europeu, associada à Confederação Europeia de Sindicatos (CES), reconhecido pela Comissão Europeia como parceiro social europeu. A UGT encontra-se representada no Eurocadres pela Elizabeth Barreiros, presidente da Ala de Quadros da UGT, eleita em 2017 para a Comissão Executiva deste órgão europeu.

Leia AQUI a Resolução aprovada na Assembleia-Geral do Eurocadres, realizada em Lisboa

Clique no link abaixo para aceder à Fotogaleria

Ver link

UE aprova diretiva para proteção de denunciantes

2019-10-07
UE aprova diretiva para proteção de denunciantes

O Conselho de Ministros Europeu aprovou esta segunda-feira, no Luxemburgo, a directiva para a protecção de denunciantes. Com esta medida a União Europeia passará a garantir um nível elevado de protecção dos denunciantes âmbito vasto de sectores, nomeadamente no que diz respeito à contratação pública, aos serviços financeiros, branqueamento de capitais, segurança dos produtos e transportes, saúde pública, entre outros.

As novas regras exigirão a criação de canais seguros para as denúncias tanto dentro das próprias organizações como junto das autoridades públicas. Além disso, conferirão também ais denunciantes um elevado nível de protecção face a retaliações e obrigarão as autoridades nacionais a informar adequadamente os cidadãos e a facultar formação aos funcionários públicos sobre a forma como lidar com as denúncias.

Portugal e os restantes Estados-Membros da U.E. terão agora dois anos para transpor para as respectivas legislações nacionais a directiva específica de protecção dos denunciantes.

“A Importância dos Quadros no Novo Contexto Laboral – Uma primeira Reflexão sobre o Setor Público”

2019-04-26
“A Importância dos Quadros no Novo Contexto Laboral – Uma primeira Reflexão sobre o Setor Público”

A Ala de Quadros da UGT promoveu, em Condeixa-a-Nova, no dia 23 de Abril, mais uma Conferência sobre a “Importância dos Quadros no Novo Contexto Laboral”, desta vez dedicada ao Sector Público.

A sessão de abertura ficou a cargo do Presidente da Câmara de Condeixa-A-Nova, Nuno Moita da Costa, que endereçou as boas vindas aos presentes e agradeceu à UGT por ter organizado esta iniciativa naquela Vila e, muito principalmente, no espaço único que é o SPOR, considerado o melhor Museu multimédia em Portugal. Por sua vez, José Cordeiro, Secretário-geral Adjunto da UGT, começou por agradecer, em nome do Secretário-Geral da UGT, Carlos Silva, o convite para estar presente na conferência, tendo feito de seguida uma resenha histórica sobre os factos que conduziram à criação da Ala de Quadros da UGT.

A Conferência prosseguiu com a intervenção de Victor Santos - membro da Ala de Quadros da UGT e dirigente nacional do SINTAP -, tendo este feito o enquadramento do tema “Os Quadros no Novo Contexto Laboral do Setor Público”.

Jacinto Santos, Presidente da UGT-Coimbra, moderou um painel intitulado “A Valorização dos Quadros do Setor Público – Passado e Futuro” –, que contou com a presença de Carla Reis dos Santos, Inspetora de Finanças da IGF, Elisabete de Carvalho, Diretora-Geral do INA, João Pais de Moura, Presidente da FEFAL e José Abraão, Secretário-Geral da FESAP.

Durante o painel foram referidos aspetos relevantes sobre os Quadros da função pública, tendo sido apontada como primeira dificuldade – comum aliás a todos os outros setores – a própria definição de Quadro de empresa. Outros fatores aludidos durante o painel foram os graus de complexidade e responsabilização crescentes dos Quadros que não se refletem numa devida e necessária revalorização das respetivas carreiras.

O encerramento desta iniciativa ficou a cargo de Lucinda Dâmaso, Presidente da UGT, Carlos Moreira, Presidente da Comissão de Juventude e de Elizabeth Barreiros, Presidente da Ala de Quadros, cujas intervenções incidiram sobre a importância da Ala de Quadros como estrutura que pretende “dar voz” aos Quadros dos diferentes setores de atividade e refletir sobre o lugar e a importância destes profissionais num mundo laboral em rápida mudança. Foi também realçada a necessidade de se criarem pontes que permitam implementar políticas de valorização e combate à precariedade.

Os membros da Ala de Quadros agradecem à Câmara de Condeixa-a-Nova e ao Presidente da UGT-Coimbra todo o apoio logístico sem o qual não teria sido possível levar a cabo mais esta iniciativa.

Eurocadres - Campanha WEMOVE - Petição pelo reforço da proteção dos denunciantes à escala da UE

2019-02-25
Eurocadres - Campanha WEMOVE - Petição pelo reforço da proteção dos denunciantes à escala da UE

Alguns dos graves escândalos dos últimos anos despertaram a atenção dos cidadãos para a forma como as irregularidades no interior de organizações ou empresas, tanto no setor público como no setor privado, podem constituir um grave perigo para o interesse público.

Desta forma, a Comissão Europeia tem vindo a trabalhar no sentido de criar um quadro político para reforçar a proteção dos denunciantes à escala da União Europeia.

Neste contexto, surgiu um movimento (Wemove.Eu), o qual, através da assinatura de uma petição, pretende que sejam definidas e protegidas as ações dos denunciantes de escândalos e corrupção na UE.

Ao assinar esta petição, está a aceitar uma diretiva que inclui, entre outros:

- o direito de solicitar aconselhamento junto de sindicatos e ONGs

- o direito de ser representado por um sindicato

- o direito de proteção de jornalismo de investigação

- o direito a proteção dos denunciantes contra atos de retaliação.

 

Aceda e assine a petição AQUI

UGT debate a importância dos Quadros no novo contexto laboral no Setor Financeiro

2018-11-22
UGT debate a importância dos Quadros no novo contexto laboral no Setor Financeiro

A Ala de Quadros da UGT promoveu esta quinta-feira na sede da UGT em Lisboa, uma Conferência sobre a Importância dos Quadros no novo contexto laboral - Uma Primeira Reflexão sobre o setor Financeiro.

A sessão de abertura ficou a cargo o Secretário-Geral da UGT, Carlos Silva, e da Presidente da Ala de Quadros da UGT, Elizabeth Barreiros.

A conferência teve como oradores, Rui Riso, Presidente do Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas, que abordou as consequências da digitalização da economia nos quadros do setor financeiro, e com Martin Jefflén, Presidente do Eurocadres - Council of European Professional and Managerial Staff, que falou dos 25 anos da organização na defesa dos Quadros na Europa.

A Jornalista, Margarida Peixoto do Jornal de Negócios moderou um painel com o tema “A Valorização dos Quadros do Setor Financeiro – Passado e Futuro” que contou com a presença do Diretor de Recursos Humanos do Banco de Portugal, Pedro Raposo, da Diretora de Recursos Humanos do Novo Banco, Paula Borges, do Professor Coordenador no ISEC, Jorge Gaspar, e de Rute Almeida, Coordenadora da Comissão de Quadros e Técnicos do SBSI.

O encerramento da conferência ficou a cargo de Lucinda Dâmaso, Presidente da UGT.

A Ala de Quadros da UGT vai promover ao longo do ano 2019, mais conferências sobre a Importância dos Quadros no novo contexto Laboral, focando em diversos setores de atividade. 

Fotos

Carlos Silva, Secretário-Geral da UGT na Sessão de Abertura

Elizabeth Barreiros, Presidente da Ala de Quadros da UGT na Sessão de Abertura

Lucinda Dâmaso, Presidente da UGT na Sessão de Encerramento

Ver link