Promover a igualdade de oportunidades para os trabalhadores com deficiência Versão para impressão

 

As pessoas com deficiência continuam a revelar especiais dificuldades na integração no mercado de trabalho, que se traduzem não apenas em baixas taxas de emprego, como em empregos normalmente mais precários e pior remunerados. Importa ter presente que este grupo apresenta várias fragilidades, em matérias como os níveis escolares, as competências profissionais, a mobilidade geográfica, a adequação dos postos de trabalho oferecidos, sendo portanto vítimas de múltiplas discriminações.

 

Uma sociedade que se quer justa e inclusiva não pode deixar de contar com o contributo dos homens e mulheres com deficiência, garantindo-lhe o pleno exercício da sua cidadania e dos seus direitos, quer por políticas que ajustem a realidade à deficiência mas que preparem também a deficiência para a realidade (actuação preventiva e adaptativa).

 

Para a UGT, a inclusão social destes trabalhadores deve passar, sempre que possível, pela sua integração no mercado de trabalho, não podendo deixar de se atender ao papel fundamental que a formação e educação têm para assegurar a sua efetiva empregabilidade, devendo ser asseguradas condições adequadas de acesso.

 

Mais, mas não poderá deixar de se ter em conta que a natureza da deficiência poderá ser impeditiva da integração no mercado de trabalho, sendo necessárias politicas transversais e integradas em áreas como a família, saúde, rendimentos, para assegurar não apenas a inclusão social mas inclusivamente uma real qualidade de vida.

 

 

 

 
Tempo de Antena de Radio
Manifestação Europeia
03 de Abril de 2014

Ligações rápidas

Filiações Internacionais

Confederação Europeia de Sindicatos
Confederação Sindical Internacional
Federação Internacional de Associações para a Educação dos Trabalhadores

Comunidade Sindical dos Países de Língua Portuguesa

 

Site desenvolvido com o apoio de:

Apoio